sexta-feira, dezembro 29, 2006

Um Bom e Feliz 2007



Receita de Ano Novo

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.
Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Pedido de desculpas!


Tenho que pedir desculpas a todos os que me lêem pela total ausência de post's neste blog, mas devido à época (da qual não me é muito querida) também estive sem net. Pois é, estive na Maia regressei hoje e não me aproximei de nenhum computador, peço as minhas sinceras desculpas a todos por não ter desejado um Bom Natal. Espero ser perdoada….

quarta-feira, dezembro 20, 2006

NATAL À BEIRA-RIO

É o braço do abeto a bater na vidraça?
E o ponteiro pequeno a caminho da meta!
Cala-te, vento velho! É o Natal que passa,
A trazer-me da água a infância ressurrecta.
Da casa onde nasci via-se perto o rio.
Tão novos os meus Pais, tão novos no passado!
E o Menino nascia a bordo de um navio
Que ficava, no cais, à noite iluminado...
Ó noite de Natal, que travo a maresia!
Depois fui não sei quem que se perdeu na terra.
E quanto mais na terra a terra me envolvia
E quanto mais na terra fazia o norte de quem erra.
Vem tu, Poesia, vem, agora conduzir-me
À beira desse cais onde Jesus nascia...
Serei dos que afinal, errando em terra firme,
Precisam de Jesus, de Mar, ou de Poesia?


David Mourão-Ferreira

terça-feira, dezembro 19, 2006

Presépio


O primeiro presépio foi feito na Igreja de Santa Maria em Roma.
Rapidamente este costume foi alargado o outras igrejas.
Foi S. Francisco de Assis(1181-1226), porém, o primeiro a representá-lo como a Bíblia descreve a natividade. Uma gruta, a manjedoura, animais e figuras esculpidas.
Esta representação ganhou raízes e tornou-se popular em todo o mundo cristão.

segunda-feira, dezembro 18, 2006

André, Matilde, Tiago, "Vladinho"





Deixo aqui uma pequena lembrança virtual de Natal para 4 dos meus pequeninos amigos da blogoesfera e desejo a vocês os 4 um belo e feliz natal. Beijinhos muitos

sexta-feira, dezembro 15, 2006

Um bom e lindo FDS




A alegria adquire-se.
É uma atitude de coragem.
Ser alegre não é fácil, é um acto de vontade.
(Gaston Courtois)

terça-feira, dezembro 12, 2006

Sonho e Realidade-Até logo CRIS

"Lindas horas para dizer seja o que fôr .... é só para dizer bye bye ao CD25A.... não devo voltar lá mais, Paulita! Não dá para aguentar mais. Já não respiro( e não estou com uma pança com a da LU), já não aguento ver a vida do 25A a continuar e eu a vegetar sem norte. Finito! Acabou-se! Fechou-se uma etapa da minha vida e que me perdoem mas não consigo despedir-me! Beijos e saudades para todos! (.... cof cof .... )Não sei explicar o que sinto mas é como se no fundo já não exista lá dentro. Sinto-me deslocada e sinto muito mais, mas não quero falar sobre isso agora. Agora sigo em frente.... algo há-de surgir e será para melhor... (tenho que acreditar nisto;)) Beijocas e até logo"
Este comentário foi deixado aqui no meu blog, não queria que isto fosse realidade, queria que fosse um sonho, e agora Cris como vou enfrentar o CD25A, andava a preparar-me no silêncio, reparaste nisso eu sei, mas agora sinto que não estou nada preparada, e choro por ti, por mim, pelo bom clima criado e que nunca mais voltará a ser o mesmo. Grito no silêncio por ti porque não sei viver sem ti, não sei trabalhar sem ti, acredita não seitanta coisa sem ti, alguém destruiu o que nós construimos, mas eu não te quero perder, eu não posso ficar sem ti, eu não sei viver sem ti. Esta é a minha realidade, o meu sonho é voltar a trabalhar contigo. Foi tão bom trabalhar contigo, foi tão bom todos os trabalhos em participámos as duas, foi tão bom quando fizemos o CD dos 30 anos de Abril, foi tão bom quando andámos às voltas com os papéis para fazer o CD do Piteira Santos, foi tão bom tudo, e agora fica o vazio, o teu vazio, a tua secretária, mas no meio desta tristeza e desta revolta, vou-te dizer nunca te vou perder, nunca.

quinta-feira, dezembro 07, 2006

Bom Feriado e Bom FDS


Romaria

É de sonho e de pó
O destino de um só
Feito eu perdido em pensamento
Sobre meu cavalo
É de laço e de nó
De jibeira ou jiló
Dessa vida
Cumprida à sol
Sou caipira pirapora nossa
Senhora de aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida
O meu pai foi peão
Minha mãe solidão
Meus irmãos perderam-se na vida
À custa de aventuras
Descasei, e joguei
Investi, desisti
Se há sorte, eu não sei, nunca vi
Sou caipira Pirapora nossa
Senhora de aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida
Me disseram porém
Que eu viesse aqui
Pra pedir em
Romaria e prece
Paz nos desaventos
Como eu não sei rezar
Só queria mostrar
Meu olhar, meu olhar, meu olhar
Sou caipira Pirapora nossa
Senhora de aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida

Poema de Renato Teixeira. Cantava Elis Regina

terça-feira, dezembro 05, 2006

Há palavras que nos beijam

Foto Jean Paul Nacivet




Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.
Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.
(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill

quinta-feira, novembro 30, 2006

Bom FDS prolongado

Galápagos


AUSÊNCIA
Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua
Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

Sophia de Mello Breyner Andresen

terça-feira, novembro 28, 2006

Amo-te em criolo




Achei pertinente colocar aqui um comentário ao post anterior, feito pela Kamia:

"Seja em que lingua for é bom de se dizer. Achei muito últil.
Em lingua cabo-verdiana, criolo, dizemos: " N'ta amau" ou " N'creu tcheu"
na ilhas do sul e " N'ta amob" e
" N'creb tcheu" nas ilhas do norte. "
Obrigada Kamia pelo teu contributo

segunda-feira, novembro 27, 2006

Amo-te

Como aprender a dizer amo-te em várias linguas...!

Árabe - Ohiboke (do homem para a mulher)
Árabe - Ohiboka (da mulher para o homem)
Alemão - Ich liebe Dich
Búlgaro - Obicham te
Cantonês - Ngo oi ney
Dinamarquês - Jeg elsker dig
Eslovaco - lubim ta
Espanhol - Te amo
Espanhol - Te quiero
Esperanto - Mi amas vin
Finlandês - Mina" rakastan sinua
Francês - Je t'aime
Galês - 'Rwy'n dy garu di
Húngaro - Szeretlek
Hebraico - Ani ohev otach (do homem para a mulher)
Hebraico - Ani ohevet otcha (da mulher para o homem)
Holandês - Ik ben verliefd op je
Holandês - Ik hou van jou
Inglês - I love you
Iraniano - Mahn doostaht doh-rahm
Irlandês - taim i' ngra leat
Islandês - Eg elska thig
Italiano - ti amo
Japonês - Aishiteru
Japonês - Chuu shiteyo
Japonês - Kimi o ai shiteru
Japonês - Ora omee no koto ga suki da
Japonês - Ore wa omae ga suki da
Japonês - Suitonnen
Japonês -Suki desu (usado no início do relacionamento, entre duas pessoas que ainda não são amantes, um tipo de: "Que giro, até simpatizo contigo!")
Japonês - Sukiyanen
Japonês - Sukiyo
Japonês - Watakushi-wa anata-wo ai shimasu
Japonês - Watashi Wa Anata Ga Suki Desu
Japonês - Watashi Wa Anata Wo Aishithe Imasu
Javanê - Kulo tresno
Klingon -qabang qaparHa' (depende da galáxia em que você está)
Latim - Te amo
Libanês - Bahibak
Mandarin - Wo ai ni
Mohawk - Konoronhkwa
Navaho - Ayor anosh'ni
Norueguês - Eg elskar deg
Português - Amo-te
Português (Brasil) - Eu te amo
Russo - Ya polubeel s'tebya
Russo - Ya tebya liubliu
Russo - Ya vas liubliu
Sueco - Jag a"lskar dig
Tcheco - miluji te
Turco - Seni Seviyorum
Vietnamita - Toi yeu em
Yiddish - Ich libe dich
Zulu - Mena Tanda Wena

Como sempre quiz dizer que te amo em todas as linguas e nunca consegui, finalmente arranjei maneira de o conseguir...no nosso lindo português...Amo-te para SEMPRE...

Publicado por João Ferreira / Quim Silva

sexta-feira, novembro 24, 2006

Bom fim de semana



Amigo
Mal nos conhecemos, inaugurámos a palavra «amigo».
«Amigo» é um sorriso, de boca em boca,
Um olhar bem limpo, uma casa, mesmo modesta, que se oferece,
Um coração pronto a pulsar na nossa mão!
«Amigo» (recordem, vocês aí, escrupulosos detritos?)
«Amigo» é o contrário de inimigo!
«Amigo» é o erro corrigido, não o erro perseguido, explorado,
É a verdade partilhada, praticada.
«Amigo» é a solidão derrotada!
«Amigo» é uma grande tarefa, um trabalho sem fim,
Um espaço útil, um tempo fértil,
Amigo vai ser, é já uma grande festa!

Alexandre O’Neill

terça-feira, novembro 21, 2006

Recebi o desafio da Paula:


Cada bloguista participante tem de enunciar 5 manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher 5 outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Ademais, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue"

1- Não saio de casa sem confirmar não sei quantas vezes se deixei tudo fechado.

2- Neste momento consumo doces que não passa pela cabeça de ninguém, as pessoas que me rodeiam até estão espantadas.

3- Quando estou a trabalhar e me desconcentrão fico furiosa e por vezes dou comigo a olhar as pessoas com uns olhos muito maus.

4- Ando a tentar controlar o meu consumismo, é que já me levou quase à falência, custa mas este mês ainda não comprei nada.

5- Quando limpo a casa tem que ser tudo muito ordenado e da minha maneira, por isso prefiro limpar sózinha sem ninguém a intrometer se.

Lanço o desafio a:
Gina, Dora, APC, Onil, Straw!

sexta-feira, novembro 17, 2006



Consultem aqui a chave do euromilhões, e façam o favor de serem felizes, esta semana foi complicada mas para a semana prometo visitinhas diárias, assim como aos novos membros que decidiram visitar este cantinho

segunda-feira, novembro 13, 2006

Amo-te



"Quando o amor vos chamar,
segui-o,mesmo que os seus caminhos
sejam íngremes e penosos.
E quando as asas
vos envolverem,entregai-vos a ele,ainda que a espada
dissimulada nas suas penas possa ferir-vos."
Kalil Gibran

sexta-feira, novembro 10, 2006

Bom fim de semana




"A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-se do sofrimento, também perde a felicidade."
Mary Cholmondeley

Para todos os que aqui veem bom fim de semana, mas este vai em especial para a minha amiga Virginia, a doce e terna mulher, verdadeira lutadora

quarta-feira, novembro 08, 2006

Para todos os amigos...



"Acima de tudo, na vida, temos necessidade de alguém que nos obrigue a realizar aquilo de que somos capazes. É este o papel da amizade"
Emerson

segunda-feira, novembro 06, 2006

Vida




"Para mim, a vida é tudo menos uma chama fugaz.
É uma espécie de magnífica tocha ardente que empunho
neste momento e que eu quero que brilhe o mais possível
antes de passar às gerações futuras".
George Bernard Shaw

quinta-feira, novembro 02, 2006

A esperança

Hoje, pela primeira vez entrei numa sala onde se fazem tratamentos de quimioterapia. Parecia um pássaro assustado, senti um arrepio.... sentei-me e fui distribuindo sorrisos, e pensei quando seria eu, ou se alguma vez seria, se teria a coragem da minha amiga, se alguma vez teria a força dela, tentei que as horas que passámos juntas fossem de distracção (falámos da net, do Rui do Maleficios da Felicidade, da Yashmeen que já foi ao blog dela, dos Xanatos da Dora) mas os anos de convivio e amizade são tão profundos que ambas percebemos o que nos ia na alma. Senti que não dei o meu melhor, senti que falhei, mas o mais importante foi que estive de pedra e cal ali, e voltarei a estar sempre, porque tudo vale a pena, e também eu acho que esta é mais uma batalha que ela vai vencer, já venceu duas, e mesmo tendo de passar por tudo isto pela terceira vez, ela tem muita vontade, muita garra, e já agora ao pessoal de enfermagem e médicos do IPO de Coimbra, obrigado pelos carinhos, mimos e sorrisos que dão alento e conforto à alma e que fazem com que aquelas horas de "veneno" a correr sejam mais suaves.
Mas para ti Mulher coragem, Mulher força, Mulher no verdadeiro sentido da palavra tu és um exemplo de vida, dizias me à dias que não tinhas medo de outro cancro que tinhas força para o vencer, só não querias voltar à quimio.... mas tás lá, e hoje deste provas que até o teu medo venceste, brincaste com a situação, brincamos com o carro vassoura, brincamos com o homem do casaco de cabedal, enfim brincamos, para fora, mas lá dentro? Ambas sabemos a resposta. TU ÉS UM VERDADEIRO EXEMPLO EM TUDO NA TUA VIDA. AMO-TE

quarta-feira, novembro 01, 2006

Dores

Hoje apetece-me gritar e dizer ao mundo que não quero mais injustiças, que o que eu quero mesmo é que se acabe de vez com a hipócrisia da história de que o cancro não tem cura, que me digam sim que os interesses económicos estão por trás, aí sim acredito, à anos que as investigações duram, e nada....
Deixem-se de armadilhas e digam que o dinheiro é mais importante que a saúde das pessoas, não acredito em mais nada, só acredito que A TI NÃO TE QUERO PERDER POR CAUSA DESTES INTERESSES, TU VALES TANTO PARA MIM....

segunda-feira, outubro 30, 2006

ONIL




Encontrei um amigo virtual.
De onde ele é?
Ah, isso não importa!
A aparência também não.
Não importa que ele não seja um óptimo escritor.
E também não precisa saber tudo sobre computadores.
Meu amigo virtual só precisa ter um coração real.
Não pode se esquecer de me mandar um montão de e-mails...
Nem esquecer de responder aos e-mails que eu vou mandar...
Tem que se lembrar de mandar uma página
de mensagem eletrônica nos momentos difíceis...
E também nos momentos alegres!
Meu amigo virtual não pode esquecer que eu sou gente real e que tenho um grande coração real.
Tudo isto é para ti !

Que nada.... Grito

Munch (ideia da Yashmeen, obrigada)


"Que nada nos limite
Que nada nos defina
Que nada nos sujeite
Que a liberdade seja
a nossa própria substancia."

Simone Beauvoir

sexta-feira, outubro 27, 2006

quarta-feira, outubro 25, 2006

terça-feira, outubro 24, 2006

Carta aberta

Divulgação obrigatória nos termos do DL 01/501 do Sec. V(a/c) (Decreto de Péricles).
Se concorda com o teor desta carta, divulgue-a. Faça a sua parte!!!


CARTA ABERTA AO ENGENHEIRO
JOSÉ SÓCRATES

Esta é a terceira carta que lhe dirijo. As duas primeiras motivadas por um convite que formulou mas não honrou, ficaram descortesmente sem resposta. A forma escolhida para a presente é obviamente retórica e assenta NUM DIREITO QUE O SENHOR AINDA NÃO ELIMINOU: o de manifestar publicamente indignação perante a mentira e as opções injustas e erradas da governação.
Por acção e omissão, o Senhor deu uma boa achega à ideia, que ultimamente ganhou forma na sociedade portuguesa, segundo a qual os funcionários públicos seriam os responsáveis primeiros pelo descalabro das contas do Estado e pelos malefícios da nossa economia. Sendo a administração pública a própria imagem do Estado junto do cidadão comum, é quase masoquista o seu comportamento.
Desminta, se puder, o que passo a afirmar:

1.º Do Statics in Focus n.º 41/2004, produzido pelo departamento oficial de estatísticas da União Europeia, retira-se que a despesa portuguesa com os salários e benefícios sociais dos funcionários públicos é inferior à mesma despesa média dos restantes países da Zona Euro.

2.º Outra publicação da Comissão Europeia, L´Emploi en Europe 2003, permite comparar a percentagem dos empregados do Estado em relação à totalidade dos empregados de cada país da Europa dos 12. E o que vemos? Que em média nessa Europa 25,6 por cento dos empregados são empregados do Estado, enquanto em Portugal essa percentagem é de apenas 18 por cento. Ou seja, a mais baixa dos 12 países, com excepção da Espanha.
As ricas Dinamarca e Suécia têm quase o dobro, respectivamente 32 e 32,6 por cento. Se fosse directa a relação entre o peso da administração pública e o défice, como estaria o défice destes dois países?

3º. Um dos slogans mais usados é do peso das despesas da saúde. A insuspeita OCDE diz que na Europa dos 15 o gasto médio por habitante é de 1458. Em Portugal esse gasto é . 758. Todos os restantes países, com excepção da Grécia, gastam mais que nós. A França 2730, a Austria 2139, a Irlanda 1688, a Finlândia 1539, a Dinamarca 1799, etc.

Com o anterior não pretendo dizer que a administração pública é um poço de virtudes. Não é. Presta serviços que não justificam o dinheiro que consome. Particularmente na saúde, na educação e na justiça. É um santuário de burocracia, de ineficiência e de ineficácia. Mas infelizmente os mesmos paradigmas são transferíveis para o sector privado. Donde a questão não reside no maniqueísmo em que o Senhor e o seu ministro das Finanças caíram, lançando um perigoso anátema sobre o funcionalismo público.
A questão reside em corrigir o que está mal, seja público, seja privado. A questão reside em fazer escolhas acertadas. O Senhor optou pelas piores . De entre muitas razões que o espaço não permite, deixe-me que lhe aponte duas:

1.º Sobre o sistema de reformas dos funcionários públicos têm-se dito barbaridades . Como é sabido, a taxa social sobre os salários cifra-se em 34,75 por cento (11 por cento pagos pelo trabalhador, 23,75 por cento pagos pelo patrão ).
OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS PAGAM OS SEUS 11 POR CENTO! .
Mas O SEU PATRÃO ESTADO NÃO ENTREGA MENSALMENTE À CAIXA GERAL DE APOSENTAÇÕES, COMO LHE COMPETIA E EXIGE AOS DEMAIS EMPREGADORES, os seus 23,75 por cento. E é assim que as "transferências" orçamentais assumem perante a opinião pública não esclarecida o odioso de serem formas de sugar os dinheiros públicos.

Por outro lado, todos os funcionários públicos que entraram ao serviço em Setembro de 1993 já verão a sua reforma ser calculada segundo os critérios aplicados aos restantes portugueses. Estamos a falar de quase metade dos activos. E o sistema estabilizará nessa base em pouco mais de uma década.
Mas o seu pior erro, Senhor Engenheiro, foi ter escolhido para artífice das iniquidades que subjazem á sua política o ministro Campos e Cunha, que não teve pruridos políticos, morais ou éticos por acumular aos seus 7.000 Euros de salário, os 8.000 de uma reforma conseguida aos 49 anos de idade e com 6 anos de serviço. E com a agravante de a obscena decisão legal que a suporta ter origem numa proposta de um colégio de que o próprio fazia parte.

2.º Quando escolheu aumentar os impostos, viu o défice e ignorou a economia. Foi ao arrepio do que se passa na Europa. A Finlândia dos seus encantos, baixou-os em 4 pontos percentuais, a Suécia em 3,3 e a Alemanha em 3,2.

3º Por outro lado, fala em austeridade de cátedra, e é apologista juntamente com o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, da implosão de uma torre ( Prédio Coutinho ) onde vivem mais de 300 pessoas. Quanto vão custar essas indemnizações, mais a indemnização milionária que pede o arquitecto que a construiu, além do derrube em si?

Por que não defende V. Exa a mesma implosão de uma outra torre, na Covilhã ( ver ' Correio da Manhã ' de 17/10/2005 ) , em tempos defendida pela Câmara, e que agora já não vai abaixo? Será porque o autor do projecto é o Arquitecto Fernando Pinto de Sousa, por acaso pai do Senhor Engenheiro, Primeiro Ministro deste país?

Por que não optou por cobrar os 3,2 mil milhões de Euros que as empresas privadas devem à Segurança Social ?

Por que não pôs em prática um plano para fazer a execução das dívidas fiscais pendentes nos tribunais Tributários e que somam 20 mil milhões de Euros ?

Por que não actuou do lado dos benefícios fiscais que em 2004 significaram 1.000 milhões de Euros ?

Por que não modificou o quadro legal que permite aos bancos , que duplicaram lucros em época recessiva, pagar apenas 13 por cento de impostos ?

Por que não renovou a famigerada Reserva Fiscal de Investimento que permitiu à PT não pagar impostos pelos prejuízos que teve no Brasil, o que, por junto, representará cerca de 6.500 milhões de Euros de receita perdida ?

A Verdade e a Coragem foram atributos que Vossa Excelência invocou para se diferenciar dos seus opositores.

QUANDO SUBIU OS IMPOSTOS, QUE PERANTE MILHÕES DE PORTUGUESES GARANTIU QUE NÃO SUBIRIA ,
FICÁMOS TODOS ESCLARECIDOS SOBRE A SUA VERDADE.

QUANDO ELEGEU OS DESEMPREGADOS , OS REFORMADOS E OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS COMO PRINCIPAIS INSTRUMENTOS DE COMBATE AO DÉFICE,
PERCEBEMOS DE QUE TEOR É A SUA CORAGEM.

Santana Castilho (Professor Ensino Superior)

(Recebi por mail e decidi partilhar)

sexta-feira, outubro 20, 2006

Para pensar... e não para criar atritos




"...O rei de Portugal D. José I tinha ordenado que todo o português que tivesse sangue judeu deveria usar um chapéu amarelo. Alguns dias, mais tarde, o marquês de Pombal apresentou-se na corte com três desses chapéus debaixo do braço. O rei, surpreendido, perguntou-lhe: “O que quereis fazer com tudo isso?” Pombal respondeu que queria obedecer às ordens do rei. “Mas - disse o rei - porque tendes três chapéus? “ “Tenho um para mim - respondeu o marquês - outro para o grande inquisidor e um para o caso de Vossa Majestade desejar cobrir-se”
Cecil Roth, A history of The Marranos.

quinta-feira, outubro 19, 2006

Sementes de vida

(Miró)

"Mais importante do que a obra de arte propriamente dita é o que ela vai gerar. A arte pode morrer; um quadro desaparecer. O que conta é a semente"
Joan Miró

quarta-feira, outubro 18, 2006

Sexo

“Tentar converter o sexo em coisa banal, como se faz hoje em dia, é não perceber o encanto do percurso do amor.“ – Jorge Bucay

segunda-feira, outubro 16, 2006

Ondas de Amor




Ondas que descansam
no seu gesto nupcial
abrem-se caem
amorosamente sobre os próprios lábios
e a areia
ancas verdes violetas na violência viva
rumor do ilimite na gravidez da água
sussurros gritos minerais inércia magnífica
volúpia de agonia movimentos de amor
morte em cada onda sublevação inaugural
abre-se o corpo que ama na consciência nua
e o corpo é o instante nunca mais e sempre
ó seios e nuvens que na areia se despenham
ó vento anterior ao vento ó cabeças espumosas
ó silêncio sobre o estrépito de amorosas explosões
ó eternidade do mar ensimesmado unânime
em amor e desamor de anónimos amplexos
múltiplo e uno nas suas baixelas cintilantes
ó mar ó presença ondulada do infinito
ó retorno incessante da paixão frigidíssima
ó violenta indolência sempre longínqua sempre ausente
ó catedral profunda que desmoronando-se permanece!

António Ramos Rosa

sexta-feira, outubro 13, 2006

Bom Fim de Semana




À beira de um precipício só há uma maneira de andar para a frente: é dar um passo atrás.
(M. de Montaigne)

Para descontrair

Uma professora pergunta aos seus alunos:
Se estiverem cinco passarinhos num ramo de uma árvore e tu atiras
num deles. Quantos ficam?
Nenhum! - Responde o Joãozinho - Todos fogem com o barulho do tiro.
A professora fica surpresa com a resposta:
Não era essa a resposta que eu esperava, mas gostei do teu modo de
pensar!
Posso fazer uma pergunta senhora professora? - Pergunta o menino.
Podes, Joãozinho.
Três mulheres estão sentadas num banco a comer gelados.
Uma esta a lamber, outra está a chupar e a terceira esta a mordiscar.
Qual delas é a casada?
A professora fica vermelha, mas responde, timidamente:
A que esta a chupar...
Não! A casada é a que tem aliança no dedo, mas eu gostei do seu modo
de pensar...

Fernando Pessoa

(S. Martinho do Porto)


Olhando o mar, sonho sem ter de quê.
Nada no mar, salvo o ser mar, se vê.
Mas de se nada ver quanto a alma sonha!
De que me servem a verdade e a fé?
Ver claro! Quantos, que fatais erramos,
Em ruas ou em estradas ou sob ramos,
Temos esta certeza e sempre e em tudo
Sonhamos e sonhamos e sonhamos.
As árvores longínquas da floresta
Parecem, por longínquas, 'star em festa.
Quanto acontece porque se não vê!
Mas do que há pouco ou não há o mesmo resta.
Se tive amores? Já não sei se os tive.
Quem ontem fui já hoje em mim não vive.
Bebe, que tudo é líquido e embriaga,
E a vida morre enquanto o ser revive.
Colhes rosas? Que colhes, se hão-de ser
Motivos coloridos de morrer?
Mas colhe rosas. Porque não colhê-las
Se te agrada e tudo é deixar de o haver?

Fernando Pessoa

As quatro fases líquidas da vida

(Salvador Dali)




"Conhecer alguém aqui e ali que pensa e sente como nós, e que embora distante, está perto em espírito, eis o que faz da Terra um jardim habitado."

(Goethe)

quarta-feira, outubro 11, 2006

Pedido de auxilio

Retirei este texto do blog http://activestresss.blogs.sapo.pt/ , e podem confirmar a veracidade desta história tão triste e a evolução da mesma no blog http://www.caracoletras2.blogspot.com/

Soube de um caso que quero partilhar convosco.
Prometo não vos roubar muito tempo, mas é certo que preciso da v/ ajuda...
Conheço um casal de S. Cosme, Gondomar, a Carla e o Aureliano Barbosa cuja senhora estava grávida de gémeos. Há pouco mais de um mês, o Aureliano teve um AVC e ficou paralisado, não se sabendo ainda a certeza da sua sobrevivência, tendo de ficar internado nesta condição no Hospital.
A Carla foi também internada há uma semana para fazer a cesariana para que os bebés nascessem. Após o parto, que correu bem, a senhora pediu para a deixarem ir ver o marido e levantou-se da cama. Mal se levantou caiu no chão desmaiada e nunca mais acordou. Foi a enterrar ontem no cemitério perto da sua casa.
O Ricardo Jorge e o Pedro Filipe (é assim que se chamam) estão na Maternidade Júlio Dinis, ficaram de repente sem pai nem mãe e sem ninguém que cuide deles. Entretanto foi atribuída a guarda dos meninos a um irmão mais velho, filho do primeiro casamento do pai dos bebés, que os vai buscar hoje, dia 20/09/2006 à Maternidade.
Este filho, um jovem em início de vida com a esposa é também pai e tem também ele um menino de 20 meses. De repente a família cresceu de três para cinco e as condições da família não acompanharam nem de longe este crescimento.
Por este motivo, gostaríamos de contar com a v/ ajuda! Caso tenham roupa, carrinhos, camas e tudo o que já não precisarem de bebé para poder dar a este pai que tem um coração do tamanho do mundo mas um orçamento familiar que não é do mesmo tamanho!
Se conhecerem também alguma empresa que possa fornecer para os primeiros tempos o leite e fraldas, seria fantástico.
A recolha dos objectos está a ser feita por mim (isabel.novais@tvtel.pt ou isanovais@gmail.com) e pela Cristina Costa (cristina.costa@rigorcg.pt), pelo que qualquer coisa com que possam contribuir será de certeza muito, muito bom.
Obrigada a todos desde já e obrigada por terem doado já um pouco do v/ tempo a ler esta história, esta é já uma vitória para estes bebés gémeos!

Em Portugal...........

Deitar lixo para o chão é uma mania bem portuguesa, mas enfim.... sem comentários

terça-feira, outubro 10, 2006

Amizade



Amigo


Mal nos conhecemos

Inaugurámos a palavra «amigo».
«Amigo» é um sorriso

De boca em boca,

Um olhar bem limpo,

Uma casa, mesmo modesta, que se oferece,

Um coração pronto a pulsar

Na nossa mão!
«Amigo» (recordam-se, vocês aí, Escrupulosos detritos?)

«Amigo» é o contrário de inimigo!

«Amigo» é o erro corrigido,
Não o erro perseguido, explorado,

É a verdade partilhada, praticada.
«Amigo» é a solidão derrotada!
«Amigo» é uma grande tarefa,

Um trabalho sem fim,

Um espaço útil, um tempo fértil,

«Amigo» vai ser, é já uma grande festa!


Alexandre O’Neill, in No Reino da Dinamarca

segunda-feira, outubro 09, 2006

Lágrima





É uma dor ingénua
Por muitos motivos
E várias consequências
É sentir que todas as coisas
Estão ao seu redor
Mas não consegue tê-las
É poder ir a qualquer lugar
Mas não ter forças
Para caminhar
É querer fugir
E não ter
Para onde ir
É ver que todos
Precisam de ajuda
E não poder socorrê-las
É poder enxergar
Que você mesmo precisa de ajuda
E não ter a quem procurar

Juliano Scoponi

Goor - A Crónica de Feaglar





Sinopse:
Durante uma época ensombrada pelo despontar de novos conflitos e intrigas, a bela e enigmática princesa Gar-Dena chega inesperadamente à corte do próspero reino Dhorian, no intuito de avisar o rei Feaglar para um terrível perigo latente que ameaça a liberdade e a própria sobrevivência de todos os Homens. Este será o ponto de partida para os acontecimentos relatados em Goor – A Crónica de Feaglar, que decorrem no período da Guerra dos Sete Reinos.Trata-se de uma fantástica aventura do rei e dos seus companheiros, que os levará aos limites das suas capacidades e aos confins do mundo conhecido, enfrentando inúmeros perigos e a herança de um nebuloso passado que foi propositadamente apagado da memória de todos os povos. O jovem e idealista rei, referido pelas antigas profecias como o Escolhido, terá de superar as suas próprias fraquezas e dúvidas, contrariar um destino sinistro e uma complexa teia de mentiras, urdida desde tempos imemoriais e em que ele próprio está envolvido.Em causa estará o próprio valor intrínseco do Homem e a sua determinação em sobreviver. Esta será uma jornada em que o futuro estará num indeciso limbo e em que tanto a vitória como a derrota podem acarretar um sacrifício demasiado doloroso para aqueles que aceitam o desafio que lhes é colocado.

Autor Pedro Ventura nasceu a 14 de Agosto de 1974, na cidade do Montijo. Em 1989, acompanhando a família, passa a residir nas Termas de S. Pedro do Sul, onde conclui os estudos secundários. Em 1996 vai viver para Viseu, cidade que escolha para fixar a sua residência. É aí que tira a licenciatura em Estudos Portugueses e Ingleses, na Universidade Católica Portuguesa.Desde cedo encontra na escrita uma paixão, primeiro na poesia e mais tarde na prosa, à qual se dedica a partir de 1996. Goor – A Crónica de Feaglar é o seu primeiro livro publicado. Nesta obra cria um mundo imaginário, onde as personagens lutam contra o seu destino. (retirado de http://www.cyberjornal.net/index.php?option=com_content&task=view&id=1510&Itemid=30 )

Este livro é do amigo Sá Morais do Blog Ideias Fixas2 http://ideiasfixas2.blogs.sapo.pt/ , pelo que já me foi dado a ler é bastante interessante. Parabéns Sá

terça-feira, outubro 03, 2006

Mistura



(Salvador Dali)

E POR VEZES


E por vezes as noites duram meses

E por vezes os meses oceanos

E por vezes os braços que apertamos nunca mais são os mesmos

E por vezes encontramos de nós em poucos meses o que a noite nos fez em muitos anos

E por vezes fingimos que lembramos

E por vezes lembramos que por vezes ao tomarmos o gosto aos oceanos

só o sarro das noites não dos meses lá no fundo dos copos encontramos


E por vezes sorrimos ou choramos

E por vezes por vezes ah por vezes num segundo se evolam tantos anos"

David Mourão Ferreira

segunda-feira, outubro 02, 2006

O que é isto?

Irritabilidade
Alterações do humor
Consumismo exagerado
Consumo de alcool
Perda de auto estima
Culpa excessiva
Perda de interesse
Perda total de apetite e uma forte queda no peso
Choro fácil (e por vezes uma enorme vontade sem ser capaz)
Morte sempre presente
"Vozes", "barulhos"
Ansiedade
Tristeza total
Pessimismo
Sentimento de culpa
Achar que todos falam mal
Movimentos repetitivos
Levantar da cama nem pensar
Inflação da importância das coisas

sexta-feira, setembro 29, 2006

Até segunda


"O verdadeiro homem não é aquele que conquista várias mulheres, mas sim quem conquista a mesma todos os dias!"

quinta-feira, setembro 28, 2006

Dia do Solteiro

Amanhã é o Dia do Solteiro, Portugal (não é Portugal é só mesmo Lisboa) celebra pela primeira vez o dia das pessoas descomprometidas.

Programa:

Dia do Solteiro
29 Set 06
Pela primeira vez em Portugal o "Dia do Solteiro", é organizado pela Speedparty.net. Este dia pretende oferecer a todos os descomprometidos um dia diferente e animado.
Programa

Speed LunchRestaurante Lizarran (Rua Latino Coelho)
Este evento destina-se a dois gupos etários: 27 aos 40 e dos 41 aos 45
Preço 28€

Dinner PartyRestaurante DonPomodoro (Docas)
Participantes neste jantar terão acesso gratuito à Festa do Solteiro
Preço 30€

Speed DatingCafé da Ponte (Docas): 21h30
Preço 22€

Festa do SolteiroCafé da Ponte (Docas): 23h30
Jogo Surpresa
Preço 12€

(Informação retirada de http://www.lisboacultural.pt/cgi-bin/lxcultural/U0004730.html?area=Cursos%2FEncontros&tabela=cursos&genero=&datas=&dia=&mes=&ano=&numero_resultados=

http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=728299&div_id=291 )

terça-feira, setembro 26, 2006

Amor

É assim que te quero, amor,
assim, amor, é que eu gosto de ti,
tal como te vestes
e como arranjas
os cabelos e como
a tua boca sorri,
ágil como a água
da fonte sobre as pedras puras,
é assim que te quero, amada,
Ao pão não peço que me ensine,
mas antes que não me falte
em cada dia que passa.
Da luz nada sei, nem donde
vem nem para onde vai,
apenas quero que a luz alumie,
e também não peço à noite explicações,
espero-a e envolve-me,
e assim tu pão e luz
e sombra és.
Chegastes à minha vida
com o que trazias,
feita
de luz e pão e sombra, eu te esperava,
e é assim que preciso de ti,
assim que te amo,
e os que amanhã quiserem ouvir
o que não lhes direi, que o leiam aqui
e retrocedam hoje porque é cedo
para tais argumentos.
Amanhã dar-lhes-emos apenas
uma folha da árvore do nosso amor, uma folha
que há-de cair sobre a terra
como se a tivessem produzido os nosso lábios,
como um beijo caído
das nossas alturas invencíveis
para mostrar o fogo e a ternura
de um amor verdadeiro.

Pablo Neruda

sábado, setembro 23, 2006

Mais um fim de semana... e este é para ti Cris




E cá estamos chegados a sexta-feira, final bem merecido, porque esta semana foi bastante recheada de surpresas, novidades, a nivel profissional.
Os funcionários do estado neste momento passaram a ser uns autênticos ladrões do próprio estado, segundo rezam os que mandam, e isto dito resumidamente. No meu local de trabalho vamos ter um despedimento de alguém que já trabalha ali à 10 anos, e tudo isto me deixa muito triste, não é nada de anormal neste país, onde a maior empresa se chama Despedimentos, só que vamos perder uma profissional, um posto de trabalho que não vai ser preenchido por ninguém e vamos ter nós os que lá ficamos muito mais trabalho.
E eu perco o convivio diário de uma amiga, uma excepcional colega de trabalho, com quem dei as melhores gargalhadas, que me deu força e coragem numas das piores alturas da minha vida, que me deu a mão para mudar tudo e lutar por um futuro risonho, que esteve comigo quando perdi o Kiko, ali junto, que está comigo se precisar, a um simples toque de telefone a qualquer hora.
Evidente, não vou perder a amiga, isso nunca, mas vou perder o convivio diário, as dúvidas, perguntas de trabalho, já não lhas irei fazer mais, já passo no corredor e não olho para aquele lugar, vou perder muito depois do último dia em que ela pisar aquele chão. Não mais voltará àquele local, disso tenho a certeza, irá partir de cabeça levantada, eu sei, o coração partido, mas a postura nunca a vai perder, dirá que voltará ali, mas nunca mais ...
Cris, vou sentir a tua falta tanto, contigo vai um bocado de mim, se mudares de cidade vai ser mais penoso ainda, mas tem uma certeza, tu já fazes parte da minha vida, para sempre.







quinta-feira, setembro 21, 2006

VER, PENSAR E AGIR - Opinião

Desafiada para falar sobre alterações climáticas, pelo grande homem que é o Sá Morais, surge-me na minha mente um turbilhão de pensamentos, e uma vontade enorme de maltratar todos os que não respeitam o nosso planeta, e de começar aqui a dizer mal dos sucessivos governos em Portugal que pouco ou nada têm feito. Mas nada disso, vou tentar escrever alguma coisa que possa interessar a quem lê. Números de CO2:- 80% do aquecimento global actual é devido a este gás.- 97% do gás carbónico emitido é proveniente das nações industrializadas através da queima de combustíveis fósseis para produção de energia.- 80% de toda a energia produzida é consumida por 25% da população mundial que vive nas nações industrializadas. O principal factor pelo qual os países em desenvolvimento esperam que as nações desenvolvidas sejam as primeiras a promoverem cortes na emissão de CO2. Existe neste momento mais 30% de CO2 na atmosfera terrestre do que na época da revolução industrial.




O urso polar é um dos muitos animais ameaçado por estas alterações, períodos mais curtos de gelo vão implicar épocas de caça mais curtas o que fará com que eles fiquem mais magros, já existem estudos que neste momento mostram que eles tem menos peso corporal.

(Fotografia: Biblioteca Fotográfica da NOAA )




Os animais e as plantas devem encontrar novos locais para viver?

Há espécies que vão desaparecer na totalidade, as espécies que já habitam latitudes ou altitudes elevadas são particularmente vulneráveis, uma vez que os seus habitats poderão irremediavelmente desaparecer: espécies que já vivem no topo das montanhas não poderão migrar para altitudes superiores e então para onde irão?
Nem é preciso responder, infelizmente todos sabemos a resposta.

Já existem algumas espécies de aves e borboletas que expandiram os seus habitats, um estudo do crescimento de várias espécies de plantas na Primavera mostra que o florescimento tem sido antecipado 2-5 dias por década nos últimos 50 anos, a migração das aves na Primavera e a respectiva postura de ovos têm sido também antecipadas 2-5 dias por década, espécies que estão especificamente adaptadas a um determinado clima têm-se movido, em média e por cada década, 6 km na direcção dos pólos ou aumentado a sua altitude em 6 metros.
Para onde mais poderão mudar?
O aquecimento rápido e as alterações súbitas não dão tempo suficiente para que as espécies se adaptem de forma lenta e gradual.

Os animais e as plantas deverão encontrar um novo local para viver? Onde?
Não sei a resposta, mas gostaria de só por um dia ter poder, para que tudo isto fosse invertido, e para que o nosso planeta não estivesse tão perto do fim.

Questionário olfativo/gastronómico

1. Que cheiro de cozinha era o teu preferido em criança ?
O cheiro da Farinha 33, e dos folares da Páscoa

2. Que cheiro de comida te abre o apetite ?
Toda

3. Quais são os teus cheiros:

da primavera? Pólen

do verão ? pêssegos, melão, alperces

do outono ? castanhas cozidas, chá de cidreira, maças assadas

do inverno ? Broas de natal, fritos, sopa, feijoada

4. Qual é a tua especiaria favorita ?
Canela

5. Qual é a tua erva aromática favorita ?
Manjericão, coentros

6. Qual é o teu perfume ?
Magnetism da Escada

7. Qual é o cheiro da casa dos teus sonhos ?
Maresia

8. Qual é a tua madeira aromática preferida?
Sândalo

9. Qual é o cheiro que tu mais detestas ?
Comida queimada

10 . Qual é o aroma artificial mais nojento ?
aroma de ananás

11 . Que combustível comestível e aromático colocarias no teu carro, se pudesses ?
menta


E aqui está, estão todos convidados a responder, caso vos apeteça.

quinta-feira, setembro 14, 2006

Venda Ambulante

Penso que voltámos ao antigamente mas agora de uma forma mais sofisticada, venda de leite ao domicilio, curioso, falamos tanto em tradição, mas... a tradição já não é o que era

quarta-feira, setembro 13, 2006

Dedicado à Tia Cremilde

Como roubar um coração

Para se roubar um coração é preciso que seja com muita habilidade,
tem que ser vagarosamente,
disfarçadamente,
não se chega com ímpeto,
não se alcança o coração de alguem com pressa.
Tem que se aproximar com meias palavras,
suavemente, apoderar-se dele aos poucos, com cuidado.
Não se pode deixar que percebam que ele será roubado,
na verdade, teremos que furta-lo, docemente.
Conquistar um coração de verdade dá trabalho,
requer paciencia,
é como se fosse tecer uma colcha de retalhos,
aplicar uma renda em num vestido,
tratar de um jardim,
cuidar de uma criança.
É necessario que seja com destreza,
com vontade, com encanto, carinho e sinceridade.
Para se conquistar um coração definitivamente tem que ter garra e esperteza,
mas não falo dessa esperteza que todos conhecem,
falo da esperteza de sentimentos,
daquela que existe guardada na alma em todos os momentos.
Quando se deseja realmente conquistar um coração,
é preciso que antes ja tenhamos conseguido conquistar o nosso,
é preciso que ele ja tenha sido explorado nos mínimos detalhes,
que já se tenha conseguido conhecer cada cantinho,
entender cada espaço preenchido e aceitar cada espaço vago. ...
e então,
quando finalmente esse coração for conquistado,
quando nos tivermos apoderado dele,
vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco.
Uma metade de alguém que será guiada por nós
e o nosso coração passará a bater por conta desse outro coração.
Eles sofrerão altos e baixos sim,
mas com certeza haverá instantes,
milhares de instantes de alegria.
Batera descompassado muitas vezes e sabe por que?
Faltará a metade dele que ainda não está junto de nós.
Ate que um dia, cansado de estar dividido ao meio,
esse coração chamará a sua outra parte
e alguém por vontade própria,
sem que precisemos roubá-la ou furtá-la nos entregará a metade que faltava. ...
e é assim que se rouba um coração,
facil não?
Pois é, nós só precisaremos roubar uma metade,
a outra virá na nossa mão e ficará detectado um roubo então!
E é só por isso que encontramos tantas pessoas
pela vida fora que dizem que nunca mais conseguiram amar alguém...
é simples...
é porque elas não possuem mais coração,
eles foram roubados,
arrancados do seu peito,
e somente com um grande amor ela terá um novo coração,
afinal de contas,
corações são para serem divididos,
e com certeza esse grande amor repartirá o dele com você.

Luis Fernando Verissimo

Bolos - Parte 2

















(Fotos retiradas da Net)

E cá está, não sei o que se passa, provávelmente é por causa do mau tempo está a dar-me para os bolos, eu gosto mas em dose moderada, mas parece que agora não estou nessa fase