quarta-feira, novembro 21, 2007

Um poema

É um poema lindo, de uma verdadeira amizade que o Miguel escreveu para mim, vale a pena visitar este recanto do Miguel,e já agora cheia de alegria vejam o que ele escreveu para mim.
Beijinhos a todos

quarta-feira, novembro 14, 2007

Memórias

Quem estiver interessado em saber um episódio muito giro meu vá ao blog da Gina, ela descreve o de uma maneira tão bonita e engraçada, que eu própria me fartei de rir.



terça-feira, novembro 13, 2007

Verdade, verdadinha

O António, depois de dormir numa almofada de algodão (Made in Egipt),
começou o dia bem cedo, acordado pelo despertador (Made in Japan) às 7 damanhã.
Depois de um banho com sabonete (Made in France) e enquanto o café (importado da Colômbia) estava a fazer na máquina (Made in Chech Republic),barbeou-se com a máquina eléctrica (Made in China).
Vestiu uma camisa (Made in Sri Lanka), jeans de marca (Made in Singapure) e um relógio de bolso (Made in Swiss).
Depois de preparar as torradas de trigo (produced in USA) na sua torradeira (Made in Germany) e enquanto tomava o café numa chávena (Made in Spain), pegou na máquina de calcular (Made in Korea) para ver quanto é que poderia gastar nesse dia e consultou a Internet no seu computador (Made in Thailand) para ver as previsões meteorológicas.
Depois de ouvir as notícias pela rádio (Made in India), ainda bebeu um sumode laranja (produced in Israel), entrou no carro (Made in Sweden) e continuou à procura de emprego.
Ao fim de mais um dia frustrante, com muitos contactos feitos através do seu telemóvel (Made in Finland) e, após comer uma pizza (Made in Italy), o António decidiu relaxar por uns instantes.
Calçou as suas sandálias (Made in Brazil), sentou-se num sofá (Made inDenmark), serviu-se de um copo de vinho (produced in Chile), ligou a TV(Made in Indonésia) e pôs-se a pensar porque é que não conseguia encontrar um emprego em PORTUGAL...

terça-feira, outubro 16, 2007

Tantos anos passaram

22 de Setembro de 1979 - Noite

Sentada na cama a escrever, penso em ti, se os meus pais soubessem ficavam desnorteados. E ainda não percebi porquê! Tenho 16 anos, claro que tenho alguém de quem gosto. Não namoro mas gosto de ti. E hoje sinto mais isso por causa do que o V. me disse, disse-me que era um marginalizado, que ninguém gostava dele. Então eu o vi só, sem amigos, sem ninguém, a vaguear. Recolhi-me e vi que precisa de amigos verdadeiros. E porque não? Eu puderei ajudá-lo, eu quero ser amiga verdadeira dele. E ao Senhor eu peço que me ajude, a esquecer-me de mim, para ajudar os outros, para ajudar os outros a viver em Paz, na verdade e no caminho certo. Eu gostaria imenso de sêr uma verdadeira mensageira da Boa Nova, da Mensagem que Jesus Cristo nos deixou.
Eu pediria ao Senhor por todos os jovens que se encontram com tu, e pelo V. em especial, ajuda-o que ele tanto precisa.
Pela revisão do meu dia perdoa-me os meus pecados, para que cada dia que passe eu possa sêr melhor.
(Quando escrevi isto tava apaixonada pelo 1º amor, tinha sido educada num colégio de freiras, dava catequese e era escuteira. Era a menina do pai, ele também não tinha mais nenhuma, e era completamente ingénua e acreditava em tudo o que me ensinavam, e aprendia que a vida era bela, bastava acreditar, bastava me anular para que o mundo fosse melhor. Passados todos estes anos partilho este texto e dá-me vontade de rir, rir por ter sido tão ingénua e rir porque foi por estas e outras coisas que a minha baixa estima me foi levando por lugares tão gelados e decrépitos, não vos maço mais, só partilhei mais um bocadinho de mim)

terça-feira, outubro 09, 2007

EU CONSIGO

Cá estou eu, não posso dizer que estou no meu melhor mas, estou muito melhor, agradeço a todos as palavras deixadas, foi muito bom poder lê-las e saber que existe alguém desse lado que se preocupa, a palavra agora encontrada para tudo é EU CONSIGO, quero ver se nunca mais me vou esquecer dela e como é óbvio da medicação, porque o EU CONSIGO sózinha não dá.
Tive saudades, e muitas mas o simples facto de aqui vir me dava a volta à cabeça, eu não queria vir mas penso que não passou um só dia em que não pensasse em todos vós e no meu blog, mas eu NÃO CONSEGUIA aqui vir, era como carregar um peso enorme do tamanho do mundo, era como se de um click se tratasse, a Yashmeen sabe bem do que falo, infelizmente, mas a vida continua e eu cá estarei até á próxima vez que eu diga e pense e sinta EU NÃO CONSIGO, espero que não seja tão depressa mas quem sabe? Ninguém.
O meu último post foi um regresso ao passado, talvez faça mais post's daqueles, pois existem momentos do passado que eu tenho que deitar cá para fora e partilhá-los, e se calhar é bem mais fácil partilhar assim do que ser cara a cara com o meu psiquiatra, que o que mais me dá vontade de cada vez que olho para ele é de chorar, mas isso são outras estórias, outras conversas, que teremos tempo para ir partilhando.
Agora vou de mansinho entrar nas vossas "casinhas" e dizer olá cheguei, beijinhos

quarta-feira, setembro 12, 2007

Retorno, lento, muito lento

Serra do Caramulo -Autor: Mário Neves
CARTA IMAGINADA OU TALVEZ NÃO

27/11/85 – 5h 47m

Bom dia! Como vais tu nesta manhã que precinto fria? Que loucura podes dizer! Sim, mas é destas loucuras que eu vou conseguindo tirar algo de bom, que penso que existe nesta vida, louca e irreal.
M. foi uma noite dura esta que passou por mim. Lutei terrivelmente comigo próprio, pensando na tremenda realidade de estar tão perto de ti, e não poder estar contigo. Mas que fazer …
Um dia mais tarde na loucura, talvez de sonhos, de noites belas e tristes, quem dirá, eu possa estar contigo se é que isso seja bom.
Bom, mas então:
M. já acordei!! Para ti:
Quantas noites como esta eu te vi linda e terna, amei o teu rosto lindo e ansioso, na ternura do teu bom coração. Tu és louca, misteriosa, mas aquele toque tão subtil, de ternura, paixão, quando sabes que outros sofrem, talvez tanto ou menos que tu, mas tu, tu M., gostas de te dar, de dar o teu corpo e alma desde que isso seja a alegria que esse alguém necessita.
Amo-te por ti mesma, não por aquilo que por vezes acontece, mas só isso, essa medida louca que tens de amar, sem ser amada, de querer sem ser querida, de consolar, sem seres consolada, eu te quero.
Um dia, nestes dias, que eu tenho um minuto para pensar, naquilo que eu gostaria, se é que me é permitido pensar assim, eu diria para comigo: como seria bom, viver cada minuto da vida, fazendo aquilo que na minha perspectiva é belo, é bom, é agradável, é melhor!
Só que cada minuto desta vida de porcaria, eu vivo, fazendo quase tudo ao contrário, lutando até contra mim, me humilhando, me perguntando porque vivo!...
Na loucura dos Deuses, que me põem assim. Mas que fazer … foi esta a predestinação dos Deuses, viver para ser aquilo que eles querem que nós sejamos.
Imagina M.:
O que talvez eu gostasse – É ESTA A NOSSA HISTÓRIA
Um dia muito tarde, um jovem, talvez na idade, mas de espírito confuso, mas belo, que vivia muito, pensou mudar, pensou que isso não era o mundo para o qual tinha nascido. Então, achou que teria que fazer algo, mesmo que isso fosse cruel para esse mundo em que vivia, que o fizesse sentir gente, gente que ama, mas que ama de uma forma integra e total. E assim, viu que a única saída possível era somente uma – FUGIR
Fugir para onde?
Como?
Pensou, pensou, e depois disse para consigo:
É ISSO:
Vou falar com a M., ela vai vir comigo, ela também tem um pouco da angústia que eu sinto, por este mundo perverso e louco, é isso. De contente reflectiu:
Olha bem, longe da civilização vou arranjar um cantinho, que nós mesmos possamos por à nossa maneira e será lá que iremos viver. Precisamos para isso somente de algumas coisas: arranjar o local, mudar para lá e levar tudo aquilo que pensamos ser necessário à sobrevivência, e ir.
Mudámos, realmente, era um local deveras lindo, saudável, agradável, até aos olhos mais frios e impuros do mundo. Somente uma pequena cabana, bem decorada, muito confortável, com aquela lareira doida, que os serões tornava românticos e a minha viola, que embevecia o silêncio da noite.
Que fazíamos:
Somente nos amávamos, de uma forma terrivelmente bela, cada minuto era uma entrega total de ambos. Líamos, escrevíamos, contávamos histórias, histórias daquele mundo doido em que tínhamos vivido e porque não o nosso misticismo aqui criado, original e belo.
Penso que seria muito bom.
Até amanhã

terça-feira, agosto 14, 2007

Ausente mas prometo que voltarei

Não estou no meu melhor, tou com uma grave depressão, prometo que voltarei em breve, a todos o meu muito obrigado.

domingo, julho 22, 2007

Boa semana


Sexy & Romantic glitter graphics from S e x i l u v . c o m



E para começar bem a semana aqui vai uma receita, testada e muito deliciosa:

Mousse de Manga

Ingredientes:
1 Lata de Leite Condensado
2 pacotes de natas ou em alternativa 4 iogurtes naturais
1 lata grande de polpa de manga (860 g)
4 folhas de gelatina branca

Modo de preparação:
Dissolva a gelatina em 2 dl de água quente e reserve até arrefecer até arrefecer. Deite as natas ou os iogurtes numa tigela e bata ligeiramente até obter uma mistura homogénea.
Acrescente o leite condensado e envolva novamente.
De seguida, junte a polpa de manga e misture tudo.
Por fim, junte a gelatina e leve ao frigorífico para ganhar consistência e sirva bem fresco.

quinta-feira, julho 12, 2007

Ausência

Da Ausência

Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua
Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.

Sophia de Mello Breyner Andresen


Isto é uma forma de explicar a minha ausência, foi prolongada, foi sofrida, porque mais uma vez me fui abaixo das "canetas", são tantas coisas que me rodeiam, são tantos turbilhões que faço na minha cabeça, que eu própria não sei lidar com eles, são sentimentos, são situações que não sei gerir e de quando em vez procuro o silêncio absoluto, a escuridão profunda e só no meu cantinho eu me sinto segura. Acreditem que não me esqueci de nenhum de vocês, todos os dias eu penso que tenho que aqui vir mas na recta final recuo e vou até ao meu cantinho, se não existisse o Rui, a Teca e a minha mãe eu partiria definitivamente para Angola onde penso, sei e acredito que seria feliz, estando com quem está pior do que eu e com tanta falta de tudo vive a vida e a encara de uma forma muito mais positiva do que eu. Acredito que crescia mais, e aprenderia a lidar com todos os meus ataques de maneira diferente, mas agora aqui eu tomo comprimidos, eu fecho-me, eu calo a dor que me vai no peito, eu suo com pânico, eu estico o meu dinheiro, eu dou voltas e mais voltas para sobreviver neste país que nada me dá só me tira, e tira-me muitas horas de sono e dá-me muito sofrimento, sou feliz com as pessoas que tenho neste momento, mas já fui tão infeliz nesta cidade, que o que quero é ir-me embora desta terra e recomeçar na Maia, tudo de novo, já que não vou definitivamente para Angola, eu quero transferência para a Maia.
Depois disto tudo, e se chegaram aqui, obrigado por me terem aturado mais uma vez.

terça-feira, julho 03, 2007

Desafio

A Yashmeen desafiou me:

Eu quero: ser feliz
Eu tenho: os melhores amigos do mundo
Eu amo: O Rui e a Teca, e a minha mãe claro, mesmo fazendo-me a vida num inferno
Eu acho: que a mentira magoa a corrói
Eu odeio: ter estes ataques em que bato bem no fundo do “poço”
Eu sinto saudades: de ouvir do meu pai
Eu escuto: muito mais do que falo
Eu cheiro: Dolce e Gabanna
Eu arrependo-me: de não ter dito tantas coisas que deixei por dizer em momentos tão importantes
Eu sinto dor: milhões de vezes
Eu sinto falta: de me sentir realmente uma pessoa sem qualquer tipo de medo ou ansiedade
Eu importo-me: com os meus amigos que estão doentes
Eu não fico: quando sou obrigada
Eu acredito: em Deus, e acima de tudo em mim
Eu danço: muito mal
Eu canto: qualquer coisinha que me alivie a alma
Eu choro: sem lágrimas
Eu falho: algumas vezes
Eu luto: Todos os dias, para me sentir melhor
Eu escrevo: quase todos os dias mas depois rasgo
Eu ganho: sempre que me esforço
Eu perco: muitas vezes a paciência
Eu nunca: nunca não gosto de dizer
Eu confundo-me: com a desonestidade das pessoas
Eu estou: neste momento com taquicardia
Eu sou: uma pessoa instável, sou bipolar e é horrivel
Eu fico feliz: quando chego à Maia
Eu tenho esperança: num mundo melhor e na minha não dependência dos medicamentos
Eu preciso: de descansar
Eu deveria: estar a dar mimos à minha cadela

E os desafiados são...

Nina
André
22
Tia
Borboleta
Gina
Tiago

e quem mais quiser responder!

sexta-feira, junho 22, 2007

Novidades e Bom Fim de Semana

Bom fim de semana com abraços e beijos



O Miguel publicou esta t-shirt no seu blog que eu lhe enviei, vale a pena visitar este blog, também na coluna do lado direito tenho um novo selo que n faz o link que também veio do blog da Matilde e do Martim que são os filhotes do Miguel.



Recebi hoje um miminho da minha doce e amiga Nina, vale a pena passar neste belo blog, porque todos os textos são doces e de uma ternura inegualável; tinha postado isto:

Sininho - uma descoberta de uma vida...pela net!




quarta-feira, junho 20, 2007

Pssssssssssiiiiiiiiiiiu cheguei

Amor e seu tempo

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.
É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe
valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.
Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.

(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, junho 06, 2007

Novidades

Recebi um caracol do meu amigo Tiago, senti-me tão contente e feliz, que vocês não conseguem imaginar, um enorme beijinho para ti que és um doce.


A minha amiga Gina voltou a escrever, que alegria, depois de tudo tão atribulado, ela voltou, Mulher de garra, por isso e muito mais eu amo-a tanto.



Do blog da Tia, mais Tia da Blogoesfera, retiro este pedido:

"Maria do Céu da Conceição é uma portuguesa de 29 anos, hospedeira da Emirates, uma companhia aérea do Dubai. Numa das suas viagens, acabou por contactar com o Bangladesh e com a sua terrível pobreza. Nesse mesmo dia sentiu que podia ajudar e fundou, meses depois, o "Dhaka Project", uma invulgar obra de solidariedade que presta auxílio humanitário a mais de 600 crianças e respectivas famílias.Em menos de dois anos, e sem qualquer apoio institucional ou governamental, Maria lidera uma das 200 mil ONGs que funcionam no Bangladesh. Com o seu ordenado como hospedeira consegue pagar a 53 funcionários. Tudo o resto é feito com muita persistência, intuição e capacidade de mobilizar os outros para este projecto que de caridade. É também graças à sua profissão, que a permite conhecer muita gente e viajar pelo mundo inteiro, como ao facto de morar no Dubai que, Maria, consegue angariar donativos suficientes para financiar o "Dhaka Project". Através dele centenas de crianças são alimentadas, vacinadas e vão à escola. Por sua vez, os pais recebem cursos de formação profissional que lhes possibilita, mais tarde, procurarem um emprego. Comparada com Madre Teresa de Calcutá, há até quem julgue que o seu espírito encarnou em Maria, mas a verdade é que nada lhe cai do céu. Enfrenta resistências diárias para conseguir desenvolver esta obra de caridade num país maioritariamente muçulmano e onde o papel da mulher continua a ser desvalorizado. Repartida entre a opulenta e luxuosa cidade do Dubai e a necessitada cidade de Daca, Maria do Céu construiu um pequeno oásis num dos países mais pobres do mundo. A Maria do Céu foi galardoada pelo seu louvável trabalho e vai receber o prémio, em Berlim, no próximo dia 14. "
Vale a pena observar o trabalho desta mulher AQUI.


E já agora vou de férias uns dias mas volto, são só uns dias, e voltarei

sexta-feira, junho 01, 2007

Dia Mundial da Criança

Hoje recebi esta esta mensagem da minha grande amiga Gina, e adorei:


"Tenho uma coisa para te dizer, peço desculpa por tudo! Sei que depois que te vou contar nunca mais me perdoas! Não tive culpa, mas precisava de ter uma atitude! ACABOU! Joguei a tua xuxa no lixo. Feliz dia da criança."
Hoje é o dia deles e delas, e vocês o que fizeram hoje?

Bom Fim de Semana, com sol e muito amor

terça-feira, maio 29, 2007

Amizade

Hoje recebi via mail este belo poema de um amigo, onde no meio de todas as suas amigas eu estou incluida obrigada Miguel pelas tuas palavras.


Às minhas queridas Amigas: Susanas, Sónia, Sonynha, Primas Joana e Inês, Patrícia a Eleita, a outra Sónia, a incrível Martina, a doce e invencível Paula, a ternurenta Ba, à eterna Eugénia, à incansável Margarida, à fiel literariamente Maria e se calhar a algumas que a minha memória de peixe esqueceu…

AMIGA: EU ESTAREI CONTIGO QUANDO AS ESTRELAS SE TRANSFORMAREM EM AZUL

Sigo-vos no limite do meu horizonte
Céu que nunca se fecha e que é até vós a minha ponte

Porque o azul domina o meu firmamento
E diz que a distância é algo que lamento
Mas que ultrapasso com sorrisos e com muita atenção
Pois todas vós ocupam um lugar no cerne do que sou, no meu coração

E os céus todas as noites se transformam em azul celeste
E eu ando por aqui ao pé de vocês pois são a minha rosa-dos-ventos, o meu leste
Por onde eu caminho por vezes parecendo sozinho, mas não, estou acompanhado
Porque de alguma forma me sinto por vós apoiado

Nesta diáspora de saber quem sou ou quem quero ser
Tenho muitas dúvidas, mas não a de que por algum motivo vos quero manter
No casulo onde pela minha natureza me costumo refugiar
Desse mesmo céu onde estão que me ameaça esmagar
Pela miríade de infinitos sentimentos que estou a aprender a entender
Sendo vocês as minhas professoras que me ajudam o universo a perceber
E por isso eu danço, imenso, parado, mas ao mesmo tempo em movimento
À volta das estrelas que amo e que são minhas companheiras
As estrelas são vocês
E esta é a minha tola maneira de dizer
Que vos estimo com ou sem borboletas que me suspendem a imaginação
Em chocolates doces que adoçam a minha por vós atenção
Em poemas que nunca serei capaz de parar de gerar
Para muitas coisas, sendo os melhores feitos para vos agradar
Pois vocês são o sal da vida
A areia da minha praia
A sombra do meu sol
A alegria que a minha alma espraia
Cada vez que vos sente
Perto ou longe, tal é irrelevante
Pois o que interessa é que nunca parem de brilhar nem por um segundo, muito menos um instante
Pois depois de vos conhecer a minha vida jamais foi como dantes
Tendo descoberto eu que o amor é talvez a forma mais divina de amizade
E eu sinto amor por todas vós que me dá forças para vencer todas as contrariedades
Até a minha sombra se desvanecer, algures no meio da minha caminhada para a eternidade

Myguel
José Miguel Patrício Afonso Gomes
1:21
3ªf
29 de Maio de 2007

sexta-feira, maio 25, 2007

Bissau, Bijagós, Tiniguena

Hoje publico um texto de uma grande amiga que regressou da Guiné, Isilda Simões, não ela não foi de férias, mas é cooperante, leva alguma coisa do que sabe e em troca de tudo isso dá-nos estes relatos vividos e sentidos tão belos, leiam até ao fim porque vale a pena.
Beijinhos e abraços de bom fim de semana.
"Cheguei na madrugada de sábado e ainda ando a fazer o "jet leg" mais o emocional que o físico, o que, me é sempre menos fácil. Acho sempre que, nestas missões recebo mais lições do que as que dou (se é que eu vou para dar lições...). Assim eu as saiba colher como merecem! Bissau, diz quem sabe, está irreconhecível: estradas esburacadas, falhas de luz e de água. Não existe politica para nada: saúde, Educação, habitação...o que quer que seja. Como é possível?COMO? é a minha interrogação constante. A cidade velha, aquelas casas lindissimas, as enormes varandas, tudo tão desprezado! A sério! O porto, cheio de recordações é um depósito de navios velhos que ninguém retira. O quartel, o mausoléu de Amilcar Cabral, a sua estátua no chão à espera de ser transportada para a rotunda do aeroporto, uma indignidade!As minhas emoções são um baralhanço. Voltarei? Quererei voltar? Serei capaz de por aqui andar a fazer de conta que nada vi, que nada sei...Veremos... Só sei que cada vez agradeço mais e todos os dias ao Universo a àgua, a luz ali à mão, a comida na mesa, a cama fofinha, a bonita paisagem. Como sou abençoada... Fui à Formosa, nos Bijagós. Conheci-a pela mão (ou antes pela moto4) do Manecas, da Sábado Vaz, do carismático Bernardo, apreciei a galinha di terra, o peixinho a saltar , o caldo de mancarra, da Julieta, o sumo de caju, de cabacera, de onhon (não sei como se escreve): Primária, selvagem, linda, cheia de mistérios, tradições, contradições, lugares estranhos. Situações inimagináveis: aulas à sombra do poilão, carteiras em canas de bambu presas umas às outras por "fibras" de àrvores. Muitas vezes nem latrinas havia. Transportes? Assistencia médica? Nada. Esperam, muitas vezes vários dias à borda do mar que a canoa passe para os levar a Bissau, à "civilização", ao médico, aos departamentos do estado. Que vidas! Que situações... Que heróis e heroínas! Que grandezas de alma! E sempre, mas sempre, aqueles sorrisos envolventes, os olhos que pedem sem nada pedirem.. a coragem um pouco tímida, o sentido de partilha manifestado naquele Guineense já idoso que, logo à minha chegada me pagou o pequeno almoço, porque a "padeira de Bissau" não tinha troco para me dar ou naquele rapaz que "na minha ora di bai" teve a coragem de me abordar para me pedir que não chorasse... que assim não os ajudava... que limpasse as lágrimas... ou ainda naquele miúdo a quem convidei para almoçar e que não quiz pedir um prato só para si, porque o que eu tinha dava para os dois. Bijagós e uma saída para Quelimane e Biombo onde visitei uma "maternidade" que uma amiga portuguesa conseguiu criar e manter (bem gostaria de aprender com ela) foram as minhas unicas saídas. Por várias razões: O trabalho era muito absorvente. Nesta missão não tinha carro e também não me senti capaz de alugar um. Bissau é um caldo de países e de povos: Mauritânea, Senegal, Líbano, India, China, Portugal, França, Alemanha e...advinhem... Guineenses :-). Parece que cada um conduz como no seu país de origem, além de que os buracos também ditam a regra!Os "toca-toca" ou os candonga não oferecem condições, não por ter que me misturar com o cacarejar das galinhas ou os berros dos cabritos. O problema é que travões não existem e, de quando em quando lá vão uns quantos meter-se com os cajueiros, as mangueiras, os fruta-pão, as "papaeiras" ou o poilão. E a questão é: se calho num daqueles espaços a que eles chamam sagrados e portanto intransitáveis? Que me aconteceria?:-) :-) :-) Já no fim, conheci jovens e menos jovens extraordinários. Retiram os dias das suas férias para irem para lá como voluntários, como aquela médica italiana que foi ensinar higiene e cuidados primários ou a Joana com quem caminhámos de tabanca em tabanca, debaixo de um sol tórrido para ver a evolução das escolas que andam a construir , no interior da ilha Formosa e da ilha de Nago. Que garra!Que corações! A pensão da D. Berta, aquela velhinha que me entoava baixinho canções de saudade de Cabo Verde estava prenhe deles! Ela que um dia, quando lhe quis pagar a minha canja de ostras porque naquela noite o calor apertava e o apetite desapertava e recusei os filetes de tamboril (ai se fosse agora...) me respondeu no seu sotaque caboverdeano "na minha casa ninguém paga sopa. Eu até dou para o hospital!"Indigentes? Apenas nas vestes. Na alma, NUNCA! Depois de tudo isto, precisarei de dizer que as comunicações eram fracas e que o pouco acesso que tinha á NEt era para resolver questões profissionais? Foi uma honra trabalhar com a Tiniguena, conhecer a dinãmica, a sensibilidade para a protecção e conservação da natureza, para a preservação dos sabores e saberes, a garra e mente aberta dos seus responsáveis, o carinho e atenções que me dispensaram. Apreciar o longo trajecto que fizeram, o que ainda querem fazer... Danadinha, aquela equipa! Não há ninguém na Guiné que não conheça esta ONG e até no aeroporto bastou referir esse nome para ter logo um grande sorriso e uma passagem aberta, quando na alfandega me perguntaram onde comprara aquele morinho (a nossa pichorra) que trazia como prenda para uma das minha anjinhas... Sabem tão bem quem lhes faz bem! A "minha" equipa, aquelas meninas sempre a puxar por mim, a questionarem-me a ajudarem a encontrar soluções, a refutarem algumas, a oferecerem-me os deliciosos bolinhos de farinha de mandioca ainda morninhos. As ostras grelhadas no quintal da Augusta. As conversas com o Pai dela, um gentleman! A paciencia do Raul a mostar-me a cooperativa que criara e onde o ensino vai desde a pré ao final do liceu, o CIFAP, onde foi lançado trágicamente lançado o último óbus na guerra de 98-99 mas onde agora se ministram os mais variados cursos técnico-profissionais. Como diria o Malato: Já fui tão feliz na Guiné...sim, mas também em Timor-Leste...em Cabo Verde...e até no cantinho da minha sala virada para o mar recordando estes lugares, partilhando convosco esta escrita e minimizando a saudade a visualizar no google estas paragens.
As potencialidades da Guiné, de Timor, de Cabo Verde e de certeza de outros lugares que ainda não conheço são incontáveis, faltam mais Tiniguenas e Rauis com o seu exemplo de disciplina, empenho, dedicação, e sobretudo seriedade e rigor. Enfim, precisam de reconquistar a sua auto-estima. Há que ter orgulho no povo que são e pensar que, tal como nós são a principal solução. Há que sentir o pulsar das gentes. E se pulsam... Há que, sobretudo os governantes, respeitarem o hino nacional da Guiné "ramos do mesmo tronco/olhos na mesma luz/esta é a força da nossa união/cantem o mar e a terra/a madrugada e o sol/que a nossa luta fecundou/ Perguntei há pouco: quererei voltar? Será que ainda me restam dúvidas? E vocês, duvidam?"
Eu aqui respondo à Isilda, não duvido e sei que ela vai voltar, e se não for a Timor, Cabo Verde, Guiné, Filipinas, será a outro lado do mundo em que estejam a precisar dela, que necessitem do seu apoio, porque ela é luz, estrela, emoção, saudade, ela é o pão para a boca, é tão bom ouvi-la, estar com ela, e eu estou cheia de saudadinhas.

quarta-feira, maio 23, 2007

Foi mais um tratamento passado

Hoje, depois de mais uma batalha travada pela minha irmã, amiga, companheira, só me apetece escrever isto e alertar para a próxima corrida, que se possam angariar fundos para que os Hospitais de Dia permitam um mais rápido escoamento dos doentes e caso não seja possível que as condições de espera sejam mais confortáveis. Mas desde já e mais uma vez PARABÉNS a todos os profissionais que trabalham no IPO de Coimbra, obrigada pelo carinho, conforto e amor que são transmitidos em cada gesto, sorriso e palavras.





No próximo dia 3 de Junho cerca de 10.000 mulheres vão correr em Lisboa para angariar fundos para Liga Portuguesa contra o Cancro. À semelhança da última edição são muitas as figuras públicas a dar a cara por esta causa e que vão participar na corrida.





"O Senhor é o meu Pastor, nada me falta.
Em verdes prados me faz descansar e conduz-me às aguas refrescantes.
Reconforta a minha alma e guia-me por caminhos rectos, por amor do seu nome.
Ainda que atravesse vales tenebrosos, de nenhum mal terei medo porque Tu estas comigo. A tua vara e o teu cajado dão-me confiança."
(Salmo 23)

sexta-feira, maio 18, 2007

Coimbra, a fonte dos amores

BOM FIM DE SEMANA PARA TODOS



Em quem pensar
Em quem pensar, agora, senão em ti? Tu, que
me esvaziaste de coisas incertas, e trouxeste a
manhã da minha noite. É verdade que te podia
dizer: «Como é mais fácil deixar que as coisas
não mudem, sermos o que sempre fomos, mudarmos
apenas dentro de nós próprios?» Mas ensinaste-me
a sermos 'dois'; e a ser contigo aquilo que sou,
até sermos um apenas no amor que une,
contra a solidão que nos divide. Mas é isto o amor:
ver-te mesmo quando te não vejo, ouvir a tua
voz que abre as fontes de todos os rios, mesmo
esse que mal corria quando por ele passámos,
subindo a margem em que descobri o sentido
de irmos contra o tempo, para ganhar o tempo
que o tempo nos rouba. Como gosto, meu amor,
de chegar antes de ti para te ver chegar: com
a surpresa dos teus cabelos, e o teu rosto de água
fresca que eu bebo, com esta sede que não passa. Tu:
a primavera luminosa da minha expectativa,
a mais certa certeza de que gosto de ti, como
gostas de mim, até ao fim do mundo que me deste.

Nuno Júdice, «Pedro, Lembrando Inês»


quarta-feira, maio 16, 2007

Receita de vida

Ingredientes

Família ( é aqui que tudo começa)
Amigos ( nunca deixe faltar )
Raiva ( se existir que seja pouca)
Desespero ( para quê? )
Paciência ( a maior possível )
Lágrimas ( enxugue todas )
Sorrisos ( os mais variados )
Paz ( em grande quantidade )
Perdão ( á vontade )
Desafetos ( se possivel nenhum)
Esperança ( não perca jámais )
Coração ( quanto maior, melhor )
Amor ( pode abusar )
Carinho (essencial )

MODO DE PREPARAR
Reúna a sua família e os seus amigos.
Esqueça os momentos de raiva e desespero passados.
Se precisar use toda a sua paciência.
Enxugue as lágrimas e substituas por sorrisos.
Junte a paz e o perdão e ofereça aos seus desafetos
Deixe a esperança crescer no seu coração.
Nem sempre os ingredientes da vida são gostosos, portanto saiba misturar todos os temperos que ela oferece, e faça dela um prato de raro sabor.
Deste modo, prepare a sua melhor receita de vida e nunca economize o amor e o "como vale a pena viver"

( autor desconhecido)

terça-feira, maio 15, 2007

Regressei enfim


Consegui aceder ao meu blog ao fim de todos estes dias infernais, pois o blogger não me deixava aceder, dei voltas e mais voltas mas finalmente consegui, por isso a partir de amanhã cá estarei e farei as minhas visitas a todos os que já era habitual visitar e que de certeza estranharam a minha ausência, espero eu, aqui estou eu a fazer-me um bocadinho de convencida, mas que já tinha saudades deste meu espaço já, por isso não descansei enquanto não consegui dar a volta e entrar novamente, porque acima de tudo este é o meu espaço que partilho com todos vocês e comigo é aqui que muitas vezes digo o que me vai na alma e senão acontece mais vezes é por timidez, e por isso saem muitas banalidades, e talvez também não fale mais de mim por vergonha, mas tudo passa com o tempo e esta minha luta com o meu blog de todos estes dias deu-me força para continuar e ser mais assidua.

A todos muitos abraços de saudades

terça-feira, abril 24, 2007

Liberdade = 25 de Abril

25 DE ABRIL, O POVO É QUEM MAIS ORDENA.... MFA......... DERRUBE DO FASCISMO.......... FIM DO LÁPIS AZUL......... FIM DA GUERRA.............. CRAVOS E MAIS CRAVOS........ O MEU HERÓI SALGUEIRO MAIA..... CAPITÃES........... FASCISMO NUNCA MAIS.... LIBERDADE
Um Bom 25 de Abril para todos

(Fotografia retirada daqui)

terça-feira, abril 17, 2007

Explicando a ausência

Pois é, cá estou eu a explicar aminha ausência....
Deve-se de facto ao 25 de Abril, para quem trabalho o ano inteiro e agora neste último mês com muito mais trabalho, são as escolas que nos pedem exposições, é a selecção de material repetido das nossas colecções, é o facto de termos que nos multiplicar em muitas tarefas para podermos de facto chegar a todas as escolas do país e ilhas que nos solicitão material para expor. Não é só escolas também cedemos a Câmaras, Juntas de Freguesia, Associações, etc. Mas eu estou com as escolas e com os professores, e nesta altura em que o material está completamente esgotado, ainda tentamos chegar para todos através de fotocópias uma ou outra publicação, uma infinidade de coisas em que nos desdobramos para conseguir chegar a todos, triste mesmo é quando temos que dizer que para este ano já não dá. Aí quando chega esta altura do não, temos muita pena, mas já não há mais material repetido para emprestar.
Visitem site acima porque de facto ele está muito bem conseguido e é o trabalho de pouca gente, porque de facto somos muito poucos, mas que mesmo assim conseguimos ainda trabalhar, mesmo assim, ainda conseguimos trabalhar em equipe em condições bastante más, dividimos secretárias trabalhamos na casa de banho e outras coisas bem engraçadas que ficaram na memória de quem por lá trabalha. Hoje tivemos a visita do Otelo e da RTP1, num directo, para o jornal das 18 horas, foi bem engraçado, porque enquanto decorria o directo conseguimos que três pessoas nos telefonassem a dizer que nos iam doar o seu espólio pessoal das coisas que recolheram nessa época ou então do Estado Novo. E é de doações que vivemos e que a Universidade não nos tem "desfeito" para outro serviço qualquer, é de facto de doadores que o Centro tem vindo a crescer, aconselho vivamemente uma visitinha por lá, nem que seja só para ver o nosso trabalho e tudo o que temos recolhido até hoje. Para todos e em especial para a Coordenadora do Centro Drª Natércia Coimbra o meu muito obrigado por em 1988 me ter integrado na equipa de trabalho. Visitem vale a pena.

quinta-feira, abril 05, 2007

Boa Páscoa






A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo.



É uma das mais importantes festas do calendário judaico, que é celebrada por 8 dias e comemora o êxodo dos israelitas do Egito durante o reinado do faraó Ramsés II, da escravidão para a liberdade. Um ritual de passagem, assim como a "passagem" de Cristo, da morte para a vida.



O ovo é um símbolo de vida nova, de vida que está para nascer; é um símbolo de começo. Daí a sua associação à Páscoa: a Ressurreição de Jesus também indica o princípio de uma nova vida, a redenção da própria humanidade e a promessa de um futuro cheio de alegria e felicidade para os que tem fé e esperança.



Os egípcios e persas costumavam tingir os ovos com as cores primaveris e davam-nos aos seus amigos. Os persas acreditavam que a Terra saíra de um ovo gigante.



Os cristãos primitivos da Mesopotâmia foram os primeiros a usar ovos coloridos na Páscoa. Em alguns países europeus, os ovos são coloridos para representar a alegria da ressurreição. Na Grã-Bretanha, costumava-se escrever mensagens e datas nos ovos dados aos amigos. Na Alemanha, os ovos eram dados às crianças junto de outros presentes na Páscoa. Na Armênia decoravam ovos ocos com retratos de Cristo, da Virgem Maria e de outras imagens religiosas.
No século XIX, ovos de confeito decorados com uma janela numa ponta e pequenas cenas dentro eram presentes populares.

No Brasil, as crianças montam os seus próprios "cestinhos de Páscoa", enchem-no de palha ou papel, esperando o coelhinho deixar os ovinhos durante a madrugada.
Nos Estados Unidos e outros países as crianças saem na manhã da Páscoa pela casa ou pelo quintal em à procura dos ovinhos escondidos. Em alguns lugares os ovos são escondidos em lugares públicos e as crianças da comunidade são convidadas a encontrá-los, celebrando uma festa comunitária. (Retirado de http://www.comamor.com.br/curiosidades_pascoa.asp)
BOA PÁSCOA A TODOS, COM VOTOS SINCEROS DE GRANDE HARMONIA E FELICIDADE

quarta-feira, abril 04, 2007

Muito engraçado.....é para rir

Comunicado a Todos os Funcionários em Relação a Faltas



DOENÇA
Estar doente não é desculpa para não vir trabalhar. Nem um atestado médico é uma garantia de estar doente, pois se estava em condições de visitar um médico também podia ter vindo trabalhar.

MORTE NA FAMILIA

Não tem desculpa. Pelo morto, não pode fazer mais nada, e os preparativos para o enterro podem ser feitos por outra pessoa. Se conseguir marcar o enterro para o fim da tarde, a firma deixa-o, de boa vontade, sair meia hora mais cedo (isto se tiver o trabalho pronto...)

MORTE PRÓPRIA

Aqui pode contar com a nossa compreensão SE:
a) Informar 2 semanas antes do acontecimento, para nós arranjar-mos outra pessoa que faça o seu trabalho;
b) Telefonar até às 8 horas da manhã para dizer que morreu de noite;
c) Enviar um atestado com a sua assinatura e a do médico relatando a causa da morte (senão serão descontados dias de férias).

OPERAÇÕES

Operações aos nossos trabalhadores são proíbidas, pois nós os contratámos como eles eram. A tiragem ou substituição de órgãos é contra o contrato de trabalho.

BODAS DE PRATA/OURO

Para uma festa deste tipo, não damos dias livres. Se está casado há 25 ou 50 anos com o mesmo homem/ mulher, fique feliz em poder vir trabalhar, (livraaa!!!).

ANIVERSÁRIO

O facto de ter nascido não quer dizer que o tenha merecido. Por isso não damos o dia!!!!

NASCIMENTO DE UM FILHO

Por um erro desse tamanho, não damos dias livres aos nossos trabalhadores (o erro foi seu), e além disso você já teve o seu divertimento.....

sexta-feira, março 30, 2007

Bom fim de semana


Excesso, 1990


Há amores estranhos fundos sem razão-

são secretos vivem na cumplicidade

indizíveis nas palavras que aqui vão

são impróprios de viver em liberdade

levaram a ternura ao exagero

e a um excesso saboroso a nossa pele

só compreende quem sente o latejar

bem mais dentro que os olhos do olhar,

há amores que não posso aqui explicar

pois quer queiram quer não inda vivemos

na pré-História de um Futuro de cem mil anos

nas grutas de um sentir que não sabemos



há uma palavra escandalosa e proibida

quando se fecha a porta e começa a fantasia

e me sento no sofá e desligo-me da vida

e fico Senhor completo do teu corpo

e o código começou e tu me ofereces

o máximo que alguém nos pode dar

e a guerra não tem hoje nem tabus

são duas vontades grandes que ali estão

e mais que as mãos e a boca e o Futuro

e o vício de dois corpos seminus

amarro em ti a vida que me escapa

e acordas-me explicando o mundo todo

e cedo a esta raiva que me mata



e sinto em ti Mulher, Mulher de mai

se houvesse aqui, agora, já, um altar

e eu casava-me contigo poro a poro,

casava-me contigo em todos os rituais

se é que não estou exactamente assim casando

o ontem com o presente e o infinito

e a cada jogo beijo salto ou grito

pressinto o chão fugir e o mundo longe

e há um abuso consentido que não peço

e tu olhas-me plácida e tremente raiva e calma

e a tormenta desabrocha e sai de nós

pela porta escancarada do excesso


Pedro Barroso

quarta-feira, março 28, 2007

Kami é para ti que és um doce

Cunene é uma província no sul de Angola com uma área de 89.342 quilómetros quadrados, 251.400 habitantes e cuja capital é Ondjiva (antiga Vila Pereira d’Eça).



Mapa do Cunene








Rio Cunene (autor da foto Grégory Rohart )

E já sabes minha amiga, comadre, irmã, como eu iria contigo, senão existisse Rui e Mãe. Mas prometo que te vou visitar. Nunca mais na minha vida vou ficar sem ti, sem te sentir, sem saber se tás bem. Tu foste um raio de luz na minha vida, tu vieste para ficar mesmo, nunca mais te vou perder por nada, pelo amor que te tenho, pelo amor que tenho a Angola, por tudo, e em especial por ti, reserva lá um cantinho para mim porque aqui na blogoesfera eu te prometo: IREI. Matar saudades, sentir te pertinho de mim, rir, mas no essencial, fofocar e muito, como nós gostamos. Amo-te muito, fazes parte de mim.

sexta-feira, março 23, 2007

Bom fim de semana a todos


Ainda bem, hoje já é sexta-feira, por isso só aqui estarei terça, este fim de semana vai ser mais comprido, ainda bem, yupi....
Para todos um grande e excelente fim de semana

quarta-feira, março 21, 2007

Olhos




Letra e música: Vinicius de Moraes

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar
Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar
Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus só p'ra me provocar
Meu amor, juro por Deus me sinto incendiar
Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus já não pode esperar
Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus sem mais lará-lará
Pela luz dos olhos teus
Eu acho meu amor que só se pode achar
Que a luz dos olhos meus precisa se casar.

terça-feira, março 20, 2007

Desafio

Fui sorteada pela Tia Cremilde, para responder a este desafio, no final irei passá-lo a mais sete tenham paciência mas se a batata veio aqui parar eu também a vou passar:


7 coisas que faço bem
1. Bacalhau com natas
2. Rir muito
3. Limpar a cozinha
4. Atender os clientes lá no “boteco”
5. Falar espanholês
6. Estender roupa e fumar ao mesmo tempo
7. Dormir (à custa de uns milagrosos comprimidos)


7 coisas que não faço ou não sei fazer
1. Sair à noite sem beber (nesta estou com a Tia)
2. Passar a ferro calças vincadas (já não se usa mas de vez em quando aparecem)
3. Aturar burros
4. Arranjos de flores (sai tudo parecido com uma vassoura)
5. Jogar no computador jogos de carros (Bato em tudo)
6. Arroz (sai sempre parece betão)
7. Bifes (saem cozidos)


7 coisas que me atraem no sexo oposto
1. O sexo oposto (aqui mais uma vez concordo com a Tia)
2. Rabo
3. Bom hálito
4. Inteligentes
5. Dinâmicos ( nada de paxás)
6. Jeitosinhos para arranjar coisinhas em casa
7. Paciência para me aturar (mais uma vez concordo com a Tia)


7 coisas que digo frequentemente
1. "vai e fica lá"
2. "abreijos"
3. "ka ganda bicha"
4. "catano"
5. "ai a minha ansiedade mata-me"
6. "amo te"
7. "boteco"... quando falo do trabalho.


7 actores /actrizes que Admiro
1. Russel Crowe
2. Leonardo DiCaprio
3. Julia Roberts
4. Johnny Depp
5. Sean Connery6. Pierce Brosnan
7. Harrison Ford

Os meus 7 visitantes e amigos a quem eu deixo o desafio!
1. Nina
2. Amigona
3. Claudia
4. André
5. 22
6. Kami
7. Andreia

segunda-feira, março 19, 2007

Anos 90

Será que já percebemos o que os anos 90 fizeram connosco?
01. Tentamos digitar uma password no display do microondas;
02. Não jogamos paciências com cartas verdadeiras há anos;
03. Perguntamos, via e-mail, ao nosso colega ao lado se tem vontade de tomar uma cervejinha e ele responde, por e-mail: "dá-me cinco minutos..";
04. Temos 15 números de telefone diferentes para contactar a família de 3 pessoas;
05. Surfamos e contactamos via Chats várias vezes por dia desconhecidos do mundo inteiro mas não falámos nenhuma vez com o nosso vizinho do lado este ano;
06. Compramos um PC novo e uma semana depois já está ultrapassado;
07. O motivo pelo qual perdemos o contacto com amigos e colegas é porque eles têm um novo endereço de e-mail;
08. Não sabemos o peso de uma carta comum;
09. O nosso conceito de organização é ter vários bloquinhos de post-It de cores diferentes;
10. A maioria das piadas que conhecemos, recebemos por e-mail;
11. Dizemos o nome da empresa onde trabalhamos quando atendemos o telefone em nossa própria casa;
12. Digitamos o 0 para telefonar de casa;
13. Sentamo-nos há 4 anos no mesmo escritório e já trabalhamos para 3 empresas diferentes; 14. Vamos para o trabalho quando ainda está escuro, e voltamos para casa quando já escureceu de novo;
15. Os nossos pais apresentam-nos aos amigos assim: "ele trabalha com computadores...";
16. Reconhecemos os nossos filhos graças às fotografias que estão em cima da secretária;
17. Lemos esta página e balançamos positivamente a cabeça em cada ponto;
18. Já estamos a pensar a quem vamos enviar este e-mail.
(Recebido por mail e achei muita piada e decidi partilhar, e concordo com quase a totalidade dos pontos)

quinta-feira, março 15, 2007

Esperança


Pois é, é de esperança que preciso para prosseguir este caminho doloroso, perto da minha amiga, preciso de lutar com ela, com a força dela, com a garra que ela tem para agarrar a vida. E vou conseguir, garanto, rezando, implorando, indo até ao mais profundo de mim e puxo a esperança para cima, e vou conseguir. Na vida a esperança nunca deve faltar, não se deve perder lhe o norte, mas sim conseguir que ela esteja perto para lhe colocarmos a mão, e é mesmo isso que vou fazer. Por lhe a mão e agarra la, e só lhe dar tréguas quando tudo estiver calmo, e sossegado e a saúde voltar. Haja ESPERANÇA é só o que quero.

segunda-feira, março 12, 2007

Nina este é só para ti





Acabou a semana cultural da UC, acabou a Festa Sons, Saberes e Sabores, foi tudo tão rápido mas tão maravilhoso, senti-me a viver em cada um dos países lá representados, mas falarei disso no próximo post.

Agora quero aqui deixar-vos um testemunho, muito importante para mim: CONHECI A NINA, isso mesmo de amigas virtuais, passámos a reais, que sensação tão boa, que maravilha quando percebi que eras tu, acho que não te consegui transmitir o meu sentimento de alegria e felicidade, como tu és bonita, não me disiludiste, não és pequenina, és linda e tens razão nem o número de telefone trocámos, podemos trocar de outra forma vais até ao CD25A e aí tomamos um café, e conversamos até esgotarmos o assunto.

Mas Nina foi tão bom, senti uma alegria imensa, dentro de mim já nutria por ti um carinho enorme, mas agora muito mais é tão bom passarmos do virtual para o real, e deparar me contigo um ser maravilhoso. Gostei muito daquele instante e espero que não seja o único. Mil beijos para ti, daqueles que vão direitinhos ao teu coração.

quarta-feira, março 07, 2007

Sons, Saberes e Sabores - Cont.

14H - Abertura da tenda
14h30 - Direitos humanos, memória e justiça no Brasil
15h10 - Oficina de pintura para os mais novos - São Tomé e Príncipe
16h10 - O Sol e os direitos humanos em Moçambique
16h45 - Direitos humanos, inclusão e cidadania - Cabo Verde
17h45 - Oficina de dança e música - Cabo Verde
18h15 - Recital com músico de S. Tomé e Príncipe
19H - Musica tradicional de Angola
19h30 - Comida típica: Moçambique e Angola

Gente de Coimbra e arredores, vão até lá, vale a pena, hoje foi muito engraçado, houve o atelier de tranças da Guiné-Bissau e como podem calcular eu aproveitei e fui fazer umas trançinhas, eu gosto acho que fiquei muito gira. E a comida típica de hoje era do Brasil e Guiné-Bissau, e eu provei de tudo, e o mais engraçado Caipirinha a rodos e da boa.

terça-feira, março 06, 2007

Festa Sons, Saberes e Sabores


No âmbito da IX Semana Cultural da Universidade de Coimbra que tem como tema "Estou vivo e escrevo sol", terá lugar a III edição da "Festa de Sons, Saberes e Sabores"de 6 a 9 de Março, que está situada numa tenda no Largo D. Dinis.

Festa organizada pelo Forum de Estudantes da CPLP-UC, pelos CES-FEUC e pelo Centro de Documentação 25 de Abril.

Trata-se de um espaço de partilha festiva e interactiva de conhecimentos, de tradições e de diferentes formas de ser e estar entre os promotores e o público. De entre as actividades propostas destacam-se oficinas de dança, música, teatro, artes plásticas, encontro com escritores, artesanato, provas de petiscos e bebidas regionais.

Este ano a Festa conta com a participação de Timor Leste, Moçambique, Cabo Verde, Portugal, Guiné-Bissau, Brasil, Angola e S. Tomé e Príncipe, penso que não me esqueci de nenhum país.

Hoje foi dia de abertura, portanto o programa do dia de hoje já não interessa para amanhã aqui fica:


14H - Abertura da tenda

14h30 - Atelier de de tranças da Guiné-Bissau

15h10 - Ambiente e direitos humanos em S. Tomé e Príncipe

16h10 - Direito do ambiente Angola

16h45 - A construção da Universidade de Cabo Verde - Protecção da camada de Ozono

17h45 - Grupo JUnta Mon de Cabo Verde

18h15 - Musica Popular Brasileira

18h40 - Musica moçambicana

19H - Comida tipica de Brasil e Guiné-Bissau

22H - Sarau cultural no D. Dinis


Eu estarei por lá pois dou apoio à organização fazendo parte do CD25A, atenção Coimbra vale a pena passar, pois todos eles fizeram um grande esforço para lá estar, e muitos deles não tiveram apoio dos seus países.

quinta-feira, março 01, 2007

Gatos




Gato que brincas na rua

Como se fosse na cama,

Invejo a sorte que é tua

Porque nem sorte se chama.
Bom servo das leis fatais

Que regem pedras e gentes,

Que tens instintos gerais

E sentes só o que sentes.
És feliz porque és assim,

Todo o nada que és é teu.

Eu vejo-me e estou sem mim,

Conheço-me e não sou eu.
Poema "Gato que brincas na rua", de Fernando Pessoa

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Feliz Aniversário Rui

Hoje que fazes anos e em que ainda não posso estar a teu lado, desejo-te um Feliz Aniversário. Não é própriamente hoje será a 29 mas este ano não dá, para o ano teremos festa em grande. Amo-te, ontem, hoje, amanhã e sempre.

terça-feira, fevereiro 27, 2007

A Tua Amiga



A Tua Amiga - A Vida Estúpida de Uma Acompanhante Tripeira consiste na passagem a livro de um dos blogs portugueses mais visitados e mais polémicos da actualidade. Num registo tão mordaz quanto hilariante, Maria Porto, acompanhante desde os quinze anos de idade, relata-nos os bizarros episódios que marcam o dia-a-dia de uma prostituta. Aqui não há lugar para a ficção… com brutal frontalidade, Maria Porto dá a cara e devolve-nos um retrato do monstro ou do vulcão que podemos encontrar dentro de cada um de nós, sem meias palavras. Um livro para quem não teme a destruição dos preconceitos. (http://www.fnac.pt/)


Vale a pena comprar, ler, vale a pena visitar o blog, é ela genuina, sem papas na língua, eu gosto da maneira frontal como ela escreve, gosto da atitude de vida, e tenho um desejo conhecê-la, dar-lhe um beijo e dizer-lhe GANDA MULHER

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Bom fim de semana

A Vida é uma oportunidade: aproveita-a!
A Vida é uma beleza: admira-a!
A Vida é um dom: aprecia-o!
A Vida é um sonho: realiza-o!
A Vida é um desafio: aceita-o!
A Vida é um dever: assume-o!
A Vida é um jogo: joga-o!
A Vida é cara: preserva-a!
A Vida é um tesouro: conserva-o!
A Vida é amor: saboreia-o!
A Vida é mistério: aprofunda-o!
A Vida é promessa: cumpre-a!
A Vida é uma canção: canta-a!
A Vida é uma luta: trava-a!
A Vida é uma tragédia: enfrenta-a!
A Vida é uma aventura: ousa-a!
A Vida é sorte: merece-a!
A Vida é preciosa: não a destruas!
A Vida é vida: luta por ela!
Madre Teresa de Calcutá

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Partiu o Cristiano


Perdi o meu primo Cristiano hoje, de uma morte à muito anunciada, mas que todos nós esperávamos um milagre, mas não aconteceu, partiu, foi embora, acabou o sofrimento, não tenho mais palavras para deixar aqui a não ser só mesmo estas.





Morrer é apenas não ser visto. Morrer é a curva da estrada. (Fernando Pessoa)

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Bom Fim de Semana a todos






Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.
Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.
Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.
Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia de Mello Breyner Andresen

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

São Valentim



Hoje não vou celebrar porque não estamos juntos fisicamente, mas pessoas apaixonadas como nós, todos os dias são de celebração. Gente apaixonada como nós, não pode ter apenas um dia por ano para comemorar, mas sim todos os nossos dias são dias dos namorados, todos os dias penso em ti e digo que te amo, mesmo que nao ouças, uma suave brisa leva até ti e diz-te isso ao ouvido com a minha voz.

terça-feira, fevereiro 13, 2007

A saga 2

Primeiro peço desculpa pela ausência mas a vontade não era nenhuma de vir até aqui, precisei de mais uma pausa na vida para pensar.
Alguns não entendem o comportamento da minha mãe, eu passo a explicar: a minha mãe tem 4 filhos, os primeiros 3 fruto de duas relações anteriores ao meu pai, casa com o meu pai e nasço eu. Eu fui a unica filha que vivi sempre com ela, os outros 3 ficaram a viver com os avós, a minha mãe nunca lhes deu carinho, amor, mandava dinheiro e mais nada. Nasci eu, quem me deu sempre amor, carinho, e me ensinou tanta coisa da vida foi o meu pai que de facto, ele sim dedicou se de corpo e alma à filha, a minha mãe era mais para mandar, nunca deu um beijo, um carinho, da minha mãe guardo recordações de gritos, berros, tipo militar, nunca se chegou amim quando estive doente, lembro me de uma vez ter ficado com um braço de gesso devido a uma lesão numa bainha do tendão e quando cheguei a casa ela desatou aos berros, porque eu fui colocar o gesso prepositado, e ainda por cima no braço direito, era para não fazer nada.
Tive na minha vida tantas situações destas, tanto grito; que chegou um dia e fugi de casa estive uma semana fora, só o meu pai sabia onde estava. Ela prometeu que melhorava o feitio e no dia que cheguei a saga continuou...
Mãe a sério aquela que mima, que está por perto, que dá força, que dá um beijo no momento certo, que unifica os filhos para que todos eles se deem bem, essa eu nunca tive, nunca conheci.
Nasceu para procriar, e para trabalhar, o resto não interessa, a frase que ela mais gosta de dizer é que aos filhos nunca lhes faltou comida. Mas e o resto? Aos meus irmãos faltou tudo, a mim faltou-me a mãe.
Muito mais haveria a dizer pelos meus 43 anos, são muitos anos, muitas estórias, muitas lutas, haverá tempo para desabafar por aqui, haverá também tempo para vos dizer que consegui ao fim de muito lutar de ser feliz.

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Quando acabará a saga?

Gostava de perceber porque a minha mãe é tão egoista, gostava imenso de perceber porque me cobra sempre que quero tomar uma atitude na minha vida.
Eu vou sair de Coimbra (não sei quando, mas logo que tenha um lugar na Maia ou arredores), e a senhora simpática que é a minha mãe não quer ficar cá em casa até ser vendida para comprar outra na Maia.
Eu sinto uma vontade enorme de partir para a estupidez, largar tudo, deixá-la e não olhar para trás. Mas se fizesse isso nunca mais me sentiria bem.
Diz a senhora que não quer viver sózinha, sabendo que a futura casa também é para ela, e diz que a minha vida pode ser feita de fins de semana. Nada entra naquela cabeça, só choro, chantagem e dores não sentidas, diz que vai para um lar, isto porque sabe a minha opinião em relação a lares, diz que eu não sei fazer nada, quando já vivi anos sem ela, quando assumiu uma relação depois da morte do meu pai, aí eu não fui importante para ela, saiu de casa e foi viver a vida dela, nunca da minha boca ouviu nada de negativo, embora me tenha doido muito. Mas aceitei e vivi sózinha na boa.
E agora que assumi um compromisso, que me vou embora mesmo, que vou viver com alguém de quem gosto muito e que a aceita a viver na mesma casa sabendo quem é a peça, está a senhora com este tipo de arrepios cujo objectivo na vida dela é abafar me e obrigar-me a viver como, quando e onde lhe apetece.
BASTA, eu vou e paciência, não vou deitar a perder uma oportunidade de ser feliz.
BASTA, eu quero ser feliz.

quinta-feira, janeiro 25, 2007

SOS Animais

Fica aqui o apelo da AnaC, que retirei do blog da Yashmeen.

Façam o favor de ler e divulgar, OK? Obrigada.

A Associação SOS dos Animais de Moura, está situada em Moura, no Alentejo, perto da Barragem do Alqueva. Bastante longe dos principais centros "capitais" portugueses; e se nestas cidades já é tão dificil, e tão custoso, conseguir os apoios necessários às várias Associações existentes, então em Moura tudo se complica, os apoios são mínimos, as possibilidades de organizar eventos são escassas, não há voluntários para ajudar a Associação, e tudo o que tem sido feito tem sido à custa de um grupo de pessoas ligadas à Associação, que com muito esforço têm conseguido diariamente, minimizar o sofrimento dos nossos animais.Neste momento, e mais do que sempre, está a atravessar grandes dificuldades financeiras para conseguir alimentar, abrigar e poder prestar cuidados veterinários aos cerca de 133 cães existentes na Associação.


As dívidas são sempre a somar, quer na compra da ração quer nas despesas tidas no veterinário local e tudo aquilo que a Associação tem conseguido angariar, tem sido para colmatar essas despesas, e por isso cada dia que passa tem sido mais dificil juntar algum dinheiro que possa beneficiar os nossos cãezinhos dando-lhes a qualidade de vida que eles merecem.


ESTA ASSOCIAÇÃO, COMO TANTAS OUTRAS, NECESSITA URGENTEMENTE DE APOIO ATRAVÉS DE:-
VOLUNTARIADO (situação de grande carência)-
NOVOS SÓCIOS - Por apenas 1 euro por mês-
DONOS E PADRINHOS PARA ANIMAIS -Adopte um Animal da S.O.S. dos Animais de Moura. Procuramos donos conscientes de que uma Adopção é para o resto da vida, os nossos Animais merecem.
Procuramos Padrinhos para os nossos Animais. Apadrinhar um animal garante-lhe a alimentação mensal e os cuidados veterinários necessários.
Se todos os nossos animais tivessem padrinhos, a alimentação deixaria de ser um problema. Poderá apadrinhar um dos nossos animais por 12 euros por mês.Veja aqui fotos dos nossos meninos que estão à espera de padrinhos ou de ser adoptados.
Tópico aberto no Site Companhia dos Animais
http://www.companhiadosanimais.com/forum/viewtopic.php?t=22058&sid=33ca1dc3f15607e450785c4016996642

Site Oficial http://www.sosdosanimaisdemoura.com/O nosso Blog/

Diário - http://sosanimaismoura.blogspot.com/-

DONATIVOS DE RAÇÃO (situação de grande carência) -
Muito urgente, a alimentação é a base de toda a subsistência dos nossos animais.-
DONATIVOS DE MANTAS-
DONATIVOS MONETÁRIOS-
DONATIVOS DE DESPARASITANTES INTERNOS E EXTERNOS - Urgente, para que os nossos animais estejam protegidos internamente, e externamente contra duas grandes pragas que são a Febre da Carraça e a Leichmaniose.-
VISITANDO A CASOTINHA DAS SURPRESAS DA S.O.S. MOURA - A nossa loja online, onde para além das nossas Tshirts, Bonés e Bolsinhas oficiais da S.O.S. Moura, poderá encontrar muitas prendinhas, todas elas oferecidas à nossa Associação para que as vendas revertam para os nossos animais.Conheça a nossa Casotinha aqui: http://casotinhasosmoura.blogspot.com/
FAÇA A DIFERENÇA.
AJUDE A AJUDAR.
Para tal, contacte sosanimaismoura@gmail.comAna C - 962906962

quarta-feira, janeiro 24, 2007

Poema oferecido

Este poema foi me oferecido por um amigo e colega de trabalho e como o adorei resolvi partilhá-lo convosco:

À Paula


TRAÇOS

Escritos a carvão
Na escrita da minha vida
Personalizados
Os conselhos
Que por mim são estimados
São

Traços

Que desenhamos
A cada jornada que passa
A cada sentir
Força que por vezes te falta
Mas que me emprestas
Para também eu
Sorrir

Traços

De desenhos que fazemos
Que parecem abstractos
Mas possuem mais lógica do que a aparente
Não sendo apenas

Traços

Pequenas enormes linhas
Que traçam
Laços perenes
Da mais sólida confiança
Tantas e tantas palavras
Que me devolvem a esperança
Em

Traços

De solidariedade
Delineada
Em intimidades
Conselhos firmes e sábios
Que dão sentido
Ao meu perdido astrolábio

Traços

Porque no teu olhar
Onde se adivinham
Mil batalhas travadas
Infinitos dragões vencidos
Dás-me essa força
E eu nada temo
Quando estás comigo

Traços

Em pausas de trabalho
Onde respiramos
Para o dia que existe
Para o que se seguirá
És parte de uma luz
Que me faz
Gostar de estar por cá
E de continuar
Esquecendo os meus dragões
E até o Palácio de Gelo
Devolvendo um acreditar
Sem o qual
Não vale a pena continuar
E por isso
Pulei a fronteira do embaraço
E te agradeço desta forma
Da maneira de que melhor me sei orientar
Dando-te
Traços
Que espero ires gostar


Miguelucho
José Miguel Patrício Afonso Gomes
17:28
Domingo
21 de Janeiro de 2007

terça-feira, janeiro 23, 2007

Ausência = Voltei

Foto José Carlos Patrício
AUSÊNCIA
Num deserto sem água
Numa noite sem lua
Num país sem nome
Ou numa terra nua
Por maior que seja o desespero
Nenhuma ausência é mais funda do que a tua.
Sophia de Mello Breyner Andresen

A todos eu venho dizer que voltei, que voltarei a visitar-vos diariamente como o fazia até à uns tempos atrás, precisei de parar, recuperei forças e muitas novidades tenho para vos contar.


sábado, janeiro 20, 2007

BFS


A felicidade de um amigo deleita-nos. Enriquece-nos. Não nos tira nada. Caso a amizade sofra com isso, é porque não existe
Jean Cocteau

sexta-feira, janeiro 12, 2007

Bom fim de semana

TEMPO CERTO
De uma coisa podemos ter certeza:
De nada adianta querer apressar as coisas;
tudo vem ao seu tempo,
dentro do prazo que lhe foi previsto,
mas a natureza humana não é muito paciente.
Temos pressa em tudo,
aí acontecem os atropelos do destino,
aquela situação que você mesmo provoca
por pura ansiedade de não aguardar o Tempo Certo.
Mas alguém poderia dizer:
Mas qual é esse tempo certo???
Bom, basta observar os sinais...
Quando alguma coisa está para acontecer
ou chegar até sua vida,
pequenas manifestações do quotidiano,
enviarão sinais indicando o caminho certo.
Pode ser a palavra de um Amigo,
um texto lido, uma observação qualquer;
mas com certeza,
o sincronismo se encarregará de colocar você no lugar certo,
na hora certa,
no momento certo,
diante da situação ou da pessoa certa!!!
Basta você acreditar que Nada Acontece Por Acaso!!!
E talvez seja por isso que você esteja agora lendo essas linhas...
Tente observar melhor o que está a sua volta.
Com certeza alguns desses sinais já estão por perto,
e você nem os notou ainda.
Lembre-se que:
O universo sempre conspira a seu favor,
quando você possui um objectivo claro
e uma disponibilidade de crescimento.
Paulo Coelho

quarta-feira, janeiro 10, 2007

Sonhos e mais sonhos

Estive em "retiro" durante uns dias, pensei e repensei, tenho dias em que me apetece estar aqui e outros em que nem entro fico-me mesmo só pela intenção.
Tudo o que sou hoje devo-o a mim própria e a um grande homem que era o meu pai. Esse pai lindo e maravilhoso foi-se embora a 5 de Janeiro de 1986, já fez 21 anos, e neste periodo em que tudo aconteceu tão depressa e tão confuso, eu cresci e muito, naquela altura ele era o meu pilar, a minha base sólida, o casamento dos meus pais nunca foi bom, e por vezes perguntei-lhe porque não se separava, respondia sempre que se tinha chegado aquela fase também ele aguentava o resto. Eu não consegui aguentar e afastei-me deles, só dormia em casa, pouco falava.
E foi então que em 5 de Janeiro ele se suicidou, ainda hoje carrago a pesada cruz de me sentir culpada, se tivesse estado presente, se estivesse mais perto, se o diálogo se mentivesse, tudo isto não teria acontecido?
São muitos ses, sem resposta, nunca irei saber, quem sabe um dia nos voltamos a encontrar e aí sim vamos exclarecer de uma vez por todas este vazio, estes ses que ficaram no ar.
Penso que quando cometeu o acto se terá lembrado de mim, mas não fui suficientemente forte para o manter entre nós, partiu sózinho, sem ninguém por perto....
E então cresci, cresci depressa demais, depois disso muitas loucuras vieram, se o relacionamento com a minha mãe era mau, então a partir desse dia muito pior ficou. Hoje aturamo-nos, conseguimos lidar com hipócrisia, eu sempre com os dois pézinhos atrás, e ela sempre no seu melhor a fazer chantagem e nos seus teatros que já não dá para levar a sério.
Passei metade da minha vida a ver o 112 (na altura 115) a ir a minha casa buscar a minha mãe para o hospital, porque ingeriu uma dose de medicamentos para se matar, e isso nunca aconteceu, depois da partida do meu pai nunca mais o fez, ameaça mas não faz.
E eu continuo sem perceber porque me calhou na rifa esta mãe, quando me lembro de ouvir do meu pai que não foi por amor que se casou, mas porque aconteceu. Aconteceu na altura porque ele estava doente e a minha mãe tinha 3 filhos sem ser casada, então ele achou que como tava doente dos pulmões nenhuma mulher mais o queria e a minha mãe tava ali a apoiá-lo.
Valeu a pena? Mereceram os dois este destino cruel? Mereci eu nascer para viver tudo isto?
Se calhar valeu.....

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Começo de 2007

Aproveitei estas mini férias para também tirar um bocadinho de descanso da net, não esqueci nenhum dos meus blogamigos, estiveram presentes no meu pensamento, todos, sem excepção, o meu Natal foi dos melhores Natais que tive nos últimos 21 anos da minha vida, voltei a ter uma familia, voltei a ter um Natal com cor (tu Pai também lá estiveste, também a D. Maria esteve lá, faltaram os pratos, mas nunca sairam dos nossos corações). A D. Maria é a mãe do meu namorado, que morreu de cancro à 2 anos, o meu Pai suicidou-se à 21 anos.
E por incrivel que pareça eu voltei a sentir o Natal da minha familia, da minha infância, sem luxo, euforia ou extravagâncias, mas passado na calma do lar, sentados à mesa, a conversar, e eu sentindo que voltei a ganhar o que tinha ficado para trás. O amor reinou, a minha mãe sentiu-se bem e foi muito bem recebida, embora a nossa relação não seja a melhor, é importante que ela seja bem recebida e se sinta bem, pois não tem mais ninguém. É o meu fardo, carrego até ao fim, embora haja dias que me apeteça abandonar, porque não foi dela que recebi os beijos, os carinhos, as boas palavras, essas sairam sempre do meu Pai.
O fim de ano foi também com o meu namorado que passei, os 4 (o pai do Rui, o Rui, eu e a minha mãe), não foi eufórico, foi calmo, mas imperou a paz e o amor, que para mim é o mais importante. E isto tudo para vos dizer que em 2007, eu vou dar me a conhecer mais, não o tenho feito escondo-me atrás de poemas, fotos e brincadeiras, mas este ano vou começar a contar um pouco da minha história, até porque como terapia me faz bem.
PS-A Teca também foi comigo, como é evidente ela faz parte da família.